17 de ago. de 2022

475) O Casamento é uma Alma que Habita dois Corpos

 

O Casamento é uma Alma que Habita dois Corpos

Mônica Clemente (Manika)

 

O Casamento é uma Alma que habita dois Corpos

Antes disso, o amor debulha os parceiros

para que esta Alma os receba.

Esta pista, ao menos, está no

  nascimento de Dionísio.

 

 

Zeus era casado com Hera quando descartou a amante Sêmele, grávida do seu filho, Dionísio. Sêmele teve que esperá-lo crescer para tirá-la do inferno que fora lançada, quando Zeus escolheu as disputas de poder ao invés da jornada desconcertante do amor. 

 

A tradução deste fato mitológico na vida real pode ser:

 

·      O amante de uma pessoa comprometida é descartado em nome da moral e dos bons costumes. 

 

·      Ou, um cônjuge é descartado, levianamente, por conta de um/a amante.  Na sequência, um dos parceiros do novo casal, geralmente o homem, larga a amante por uma nova mulher. “De repente, ela não é mais tão interessante para ele.”

 

·      Ou, um filho/a se mete no meio das brigas dos pais e acaba se indispondo com um deles “por toda a vida”. 

 

·      Ou os pais, em nome da disputa do poder, preferem brigar com os parceiros machucando seus filhos.

 

·      Ou ainda, um filho/a recebe toda a atenção do pai do sexo oposto, que deveria ser direcionada ao cônjuge. O parceiro descartado, com ciúmes, atacará a criança “por toda a vida”.

 

O que é comum em todos estes exemplos é o amor temido, revelado pela triangulação, a ponto de alguém ser descartado em nome da retomada do poder.

 

A pessoa jogada fora – papel de Sêmele - cai no inferno e Dionísio, o filho dos amantes, cresce e vem salvá-la do sofrimento.  Na vida real, esta passagem do mito pode ser o reencontro de um casal de amantes, separados por anos, com ou sem filho, que agora se casam. 

 

Ou um novo casamento de um casal que passou por uma crise, como nascimento de um filho de um dos parceiros com outra pessoa, que agora faz parte da “nova” relação antiga.

 

Ou um filho não reconhecido que busca o reconhecimento do pai. Ou pais e filhos se reconciliando depois de anos de rancor por conta dos motivos acima.

 

Então, o que é que Dionísio vem resgatar nesta situação de sofrimento pela perda de um caminho de vida ao lado de alguém que se ama?

 

O rompimento das barreiras e desordem internas de uma pessoa, que não permitiram que o amor fluísse até uma relação de casamento. 

 

Ou entre pais e filhos, quando eles são colocados no meio da relação dos pais. 

 

Aí, então, ela estará pronta para arcar com a alquimia de almas no casamento, quando uma alma tomará dois corpos.  Não mais na forma de um amante externo ao relacionamento. 

 

Mônica Clemente (Manika)

@manika_constelandocomafonte

@constelacoes_mitologicas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

586) O Anjo da Guarda em seu Mapa Astral

  O Anjo da Guarda em seu Mapa Astral Mônica Clemente (Manika)   Você sabia que existe um “anjo da guarda” em seu mapa astral? Uma for...