11 de jun. de 2021

301) TAO - Como saber se estamos no nosso caminho?

 


Como nos ensina o sacerdote Taoísta Hamilton Fonseca Filho, existem tesouros que nos ajudam a saber se estamos em nosso caminho, o nosso TAO.

Os 3 tesouros são:

1)  VIDA: nosso tempo de vida.

2)  CAMINHO: na vida construímos um caminho.

3)  LIBERDADE: nosso caminho nos leva à liberdade?

Para uma pessoa saber como agir e escolher em sintonia com o seu TAO, dentro de uma situação, ou com uma pessoa, ou com um desafio, ela pode se apoiar em algumas perguntas baseadas nestes tesouros:

1)  Aquilo que faço ou farei subtrai quanto da minha vida?

2)  Será a responsabilidade que estou assumindo está dentro do meu caminho? Ou ela me desvia dele? Se eu aceitar este compromisso, o quanto ele modificará, diversificará e agregará ao meu caminho?

3)  O quanto este contrato com esta pessoa, pessoa, situação ou desafio vai subtrair da minha liberdade? Vai exigir quanto tempo?  O quanto de liberdade eu vou ter?

Eu percebo, em minha jornada, que eu perco energia quando assumo um compromisso ou escolha que subtrairá um tempo valiosos da minha vida e não tem a ver com meu caminho.

Que eu me sinto perdida, se o caminho não é adequado. Quase uma depressão.

E perco a alegria se perco a minha liberdade de fazer o que vim fazer porque assumi o que não vim fazer.

E que, às vezes nem precisa mudar totalmente a escolha parar reencontrar a energia, o foco e a alegria perdida, mas ajustá-la para que ressoe mais com meu TAO. 

Se você quiser saber com mais profundamente e com quem realmente conhece o TAO, Indico as aulas e cursos com o o sacerdote Hamilton Fonseca Filho na Sociedade Taoísta do Brasil:

www.sociedadetaoistadobrasil.com



 

300) Eros e Psique - a Jornada do Amor

Mônica Clemente (Manika) 

Neste episódio do “Constelações Mitológicas, as interfaces da Constelação Familiar com os Mitos”, vamos embarcar nas polifonias do mito de Eros e Psique em sua jornada do amor.

Então, se você se identificar com algum dos personagens ou situações ao longo da narrativa, elas podem estar ativando soluções em você.

Afinal a narrativa mítica deste mito, especificamente, nos ajuda a reencontrar o caminho perdido para a nossa alma, como quem nos ensina a apontar para a Lua. Só que o que vai acontecer entre o seu dedo e a Lua, é com você.

Nele, portanto, encontramos muitas pistas sobre

☀️a jornada de emancipação do masculino por meio da anima (contrapartida feminina no psiquismo do homem), segundo Von Franz e Jung.

☀️A jornada da emancipação feminina por meio do animus (contrapartida masculina no psiquismo da mulher), segundo Eric Newmann.

☀️A jornada espiritual, segundo os filósofos.

☀️E as pistas sobre as diferenças dos casos de amor e o casamento. Sobre os emaranhamentos e suas consequências e sobre as crises e a beleza da Alma, como eu fiz neste episódio.

Espero que ajude você.

__________

Minhas redes:

Youtube: Mônica Clemente

Instagram:

@manika_constelandocomafonte
@constelacoes_mitologicas
@astrofenomenologia

Podcast:
Constelações Mitológicas

Blogs
www.manika.com.br
www.constelandocomafonte.com.br
www.constelacoesmitologicas.com.br
www.cinemaeconstelaçãofamiliar.com.br (com Adriane Amaral)
_______

E, para quem gosta de Constelação Familiar e mitologia, se prepare!

Semestre que vem eu vou lançar o primeiro curso do Constelações Mitológicas, um trabalho de mais de 11 anos de pesquisa e seminários.

Vamos estrear com com este mito de Eros e Psique.

Ainda em fase de produção.

Ele vai nos ajudar a compreender e usar a nosso favor as resistências interiores para uma relação mais plena consigo mesmo e com um/a parceiro/a.

To empolgada!
Beijos

Mônica Clemente (Manika)

#ErosEPsique #AmorEPsique #Manika #Familienstellen #Amor #Afrodite #ConstelaçãoMitológica #Mitologia #ConstelaçãoFamiliar #JornadaDaAlma #Emaranhamentos #RelaçãoDeCasal #Anima #Animus #MarieLouiseVonFranz #Jung #EricNewmann #Campbell

25 de mai. de 2021

299) Mulheres Solares e as Luzes do Feminino


A escritora e Consteladora Familiar Daniela Migliari me convidou para uma conversa deliciosa com ela!

Nós falamos sobre as "Mulheres solares e as luzes do Feminino" lá no seu programa "Encontros com Daniela Migliari" 

Título que ela criou junto com este roteiro maravilhoso:

- O eclipse cultural das Luzes do Feminino;

- A colonização da mulher, o mandato cultural da burrice e formas de invalidação do Feminino (mulheres loucas, mulheres putas, mulheres bonitas e burras, donas de casa submissas);

- Sintomas físicos, mentais e emocionais da desconexão das Luzes do Feminino;

- O que podemos aprender com a deusa egípcia Bastet e sua força solar;

- O caminho interrompido para o Feminino nas mulheres e nos homens;

- Quando as mulheres têm sua luz solar culturalmente eclipsada, os homens também sofrem;

- A dor das mulheres que compensam o movimento interrompido do seu princípio feminino por meio do princípio masculino em desequilíbrio;

- Sonne: substantivo feminino em alemão para a palavra “Sol”; - O destino de uma mulher é ser quem ela quiser; - Luz não apaga luz: ambas se somam;

- A paz começa no coração das mulheres... E se completa no coração dos homens!


297) A Arte de Ajudar sem Atrapalhar

 


Não existe forma confortável de falar do que mexe com a nossa impotência. Então começamos com um exemplo:

Alguém quer dar um atendimento terapêutico de presente. Esta é uma intenção regada de generosidade, reconhecimento do trabalho, vontade de espalhar bem no mundo e alegria por isso.

É verdade, por exemplo, que a constelação familiar ou o Mapa Astral são presentes que damos para nós mesmos. Mas não devem ser presenteados como um bem de consumo, porque

🌸 A ajuda funciona quando a pessoa precisa, descobre que precisa, busca e arca com os custos da ajuda, criando espaço interno para mudar. 


🌸 O passo decisivo da cura começa assim: “preciso de ajuda e arco com ela totalmente.” 

🌸 Inclusive, como adultos, dando algo em troca. Exercitando o ego adulto e o pai protetor em nós mesmos, ao levarmos nossa criança ferida para ser cuidada.

🌸 No entanto, quando recebemos de presente um atendimento terapêutico,  já ficamos preenchidos pela generosidade do presenteador. Isto, por si só, já é uma ajuda. Porque nos sentimos apoiados. Principalmente se são os pais que dão a terapia (mas só se a pessoa se mexe para busca ajuda). 

Mas não haverá mais lugar para receber a ajuda profissional, correndo o risco, inclusive de ficarmos com inveja de quem nos presenteou! Porque o doador fica enorme diante de nós. Isso não vale se forem os pais pagando a terapia dos filhos, não importa a idade deles, mas só se buscam e querem o tratamento.

🌸 E o mais escondido: o profissional é convidado a virar joguete das expectativas do presenteador, sem ser parte ativa da relação. O protagonista passa a ser quem presenteia e não  mais o presenteado. E o cuidador passa a ser o entregador das carícias.

Neste caso, o estado de ego do profissional é convidado a ficar na Criança Adaptada.

🌸 E nenhuma ação de ajuda funciona quando uma criança é cuidada por outra criança.

O terapeuta, então, pode até aceitar a proposta e conseguir ficar no seu lugar, mas o cliente não terá espaço para ser ajudado porque recebeu demais. (novamente: isto não vale para pais e mães dando a terapia para os filhos adultos, mas só se eles buscam a terapia e eles pagam o profissional, mesmo que o dinheiro seja dos pais.)

🌸Uma coisa é precisar de ajuda, reconhecer isso, não ter como pagar, pedir emprestado para alguém, que então pode até dar o dinheiro. Outra coisa é alguém dar um vale presente terapêutico para uma pessoa, fazendo esta pessoa e o terapeuta entrarem num triângulo dramático: salvador (quem dá o presente fora de lugar), perseguidor (o terapeuta que, se aceitar a proposta, ficará com raiva, sem nem saber porque) e a vítima (o adulto que recebe o presente sendo tratado como criança). 

🌸Um bom terapeuta vai até ajudar o cliente a pedir ajuda finanecira aos pais, porque não “querer mais nada deles” pode ser a razão dos problemas. Mas não vai aceitar cair o triângulo dramático.

🌸Mas essa ajuda já acontece no espaço terapêutico, onde podemos virar criança, já que o terapeuta está na posição certa para ajudar sem fazer jogos psicológicos.

Em resumo, a arte da ajuda começa quando nos perguntamos:

- Posso ajudar?

Se a resposta é “Não!” Ou “Não sei”


Então não faço nada e aguento minha impotência.



- Posso ajudar?
Se a resposta é “Sim!”
Devemos nos perguntar ainda: “Como e até onde ajudar?

17 de mai. de 2021

296) Como Interpretar os Sonhos?

 Como interpretar o seu sonho?

Mônica Clemente (Manika) 

          Os sonhos falam com a gente, como se fossem episódios de uma série ou folhas de um livro. Para entendê-los é preciso anotar, se possível, ao acordar. 

          Para tanto, segue algumas orientações: Antes de dormir, diga com amor para você: vou sonhar,  lembrar e registrar o sonho. 

2.    Anote-o ao acordar:  começo, meio e fim; o que lembrar, sem interpretar. 

3.    Selecione passagens, personagens e coisas que te marcaram. Onde estavam? Qual a relação com você? Não interpreta ainda.  

4.    O que sente em cada parte?

 

5.    Se é pessoa conhecida: o que representa para você? (Você quer, possivelmente, estas características ou não as reconhece em você.)  

6.    Se sonhar com animais: o que eles significam para você? Este significado geralmente é o talento não desenvolvido ou um conteúdo inconsciente seu. 

7.    E depois de escrever o que cada um dos personagens e situações relevantes do sonho são para você, se um dicionário de símbolos para entender o arquétipo dele também. Isso vai ampliar sua percepção do símbolo sonhado. 

8.    Por exemplo: se você sonhar com um homem desconhecido e você é mulher, ele é a versão do seu animus (sua contrapartida masculina inconsciente), portanto uma parte sua que precisa reconhecer. Como ele é? Como vocês se relacionam? Geralmente ele mostra um padrão seu de relação. 

9.    Se ele ou um grupo de homens atacar ou perseguir o sonhador mulher é porque ela mesma falou ou pensou mal de si mesma  no dia anterior. 

 

10.   Se você é homem e sonhar com um homem, ele é uma parte sua que precisa ser reconhecida. Se for uma mulher desconhecida e você é homem, é uma versão da sua anima (contrapartida feminina inconsciente). A forma como o homem sonhador se relaciona com ela é um padrão de relacionamento que precisa ser reconhecido.

 

11.   Se você é mulher e sonha com um menino, é um novo projeto. Se é menina, é você na infância. Como se relaciona com eles? 

 

12.   Se você é homem e sonha com um menino, é você na infância. Se é uma menina, é um novo projeto. 

 

13.   Se estão feridos, você está se traindo, se negando?

 

14.   Objetos, eventos naturais: qual o elemento? Ar, fogo, terra, ar, éter? Pesquise os órgãos relacionados. Partes do corpo atacadas por bicho sinaliza início de doenças ou dons.

 

15.   Lembre-se de uma situação vivida no dia anterior ou que tem te preocupado. Qual a relação deles com os eventos e sentimentos do sonho? 

 

16.   Pesadelo é aviso: cuidado com isso que te fez acordar.

 

17.   Ilusão e baixa estima prejudicam a interpretação: sonhar com o namorado com outra, não é premonição, é insegurança. Sonhar que está transando com um/a conhecido/a: você quer virar amigo dele/a. Nada mais. 

 

18.   Sonho premonitório não tem emoção, ele é. Sonho mediúnico você recebe mensagens do mundo real.

 

19.   Junte as peças e comece a interpretar, sem se analisar! Deixe esta parte para um profissional.


20.   Ah! E lembre-se de sonhar acordado para se manter motivad@!

 

21.   Se você não sonha, pode ser que não lembra dos sonhos ou porque está numa fase de transformação.

 

 Ilustração de Daria Hlazatova.

16 de mai. de 2021

295) A colonização começa sobre o Corpo da Mulher

 


A colonização começa sobre o Corpo da Mulher

Mônica Clemente (Manika) 

Em “A terra dos mil povos”, do escritor indígena Kaká Werá Jacupé (2020), ele “desenha para nós” a verdadeira história da colonização: 

“1534 (...) atentado contra a mulher indígena, a posse da terra e a liberdade dos índios” (Werá, 2020:76). 

Embora a ordem dos fatos seja evidente: “mulher, indígena, terra e liberdade”, entendemos que os atentados contra a mulher são efeitos da colonização e não a sua razão. 

Foi então que inverti a lógica e elaborei este pressuposto: a 1a apropriação indevida dos colonizadores não foi sobre a Floresta. Foi sobre o corpo da mulher.  

Assim, deram aval em praça pública para abusar das outras presenças conectadas a ela: 

A Natureza, o Mistério, a Diversidade, a Floresta e seus povos...  

Angela Davis também falou do abuso dos escravocratas sobre o corpo das mulheres escravizadas para manutenção do poder. 

E a Silvia Federici ainda dá outra pista: a mentalidade predatória da nossa civilização foi possível graças à caça às bruxas entre 1560 e 1660. 

Uma mentalidade culturalmente disseminada, entre vizinhos em pé de guerra, que colocavam a culpa dos seus infortúnios em tudo o que se referia ao feminino.

Será que ao subjugar a mulher, torturando-a em praça pública para confessar seus feitiços, eles tentavam controlar a indefinição da solução de seus problemas, projetada no feminino, princípio misterioso da Natureza? 

Porque, ironicamente, a ciência moderna nascia com a mesma premissa de torturar a natureza para arrancar dela os seus segredos (Bacon 1562- 1626). 

Como se esta alegação de dominação fosse o efeito borboleta das atrocidades cometidas aqui desde 1500. 

E até hoje, as mulheres, florestas e seus povos continuam sendo queimados, metafórica e literalmente, enquanto o diabo mora tranquilamente no detalhe insignificante de um ponto de vista: 

Os abusos contra a mulher não são os danos colaterais de sociedades erguidas a partir das guerras e do medo, são o aval para todas elas. 

Bibliografia 

A Terra dos 1000 povos - #KakáWerá

The Woman Awakening – #PrabhatR.Sakar

Calibã e a Bruxa - #SilviaFederici

O Cálice e a Espada - #RianeEisler

Mulheres, Raça e Classe - #AngelaDavis

A Vida não é Útil - #AiltonKrenak

 

#PovosOriginários #MulherIndígena #Colonização #Feminino #Mulher #Corpos #Natureza #MãeTerra #Gaia

294) Você é mais Introvertido ou Extrovertido

 


Você é mais Introvertido ou Extrovertido?

Mônica Clemente (Manika)

 

 

Jung observou que todos temos 2 formas de disposição em relação ao objeto. Só que uma das atitudes é principal e a outra é auxiliar.

 

Ou seja, existe pessoas com mais facilidades para focar a atenção no mundo externo de fatos e pessoas (extroversão).

 

E existe pessoas com mais facilidades para focar no mundo interno de representações e impressões psíquicas (introversão). 

 

Como eu deixei claro no título, uma dessas tendências prevalece, como se fosse a mão que escrevemos, enquanto a outra função fica como auxiliar. Mas as duas fazem parte da gente. Por isso, não pense que você é diferente se tem as duas funções. Todos têm e sabem usá-las.   

 

No entanto, se você quer saber qual é a sua 1ª atitude e qual é a auxiliar, observe como costuma recuperar a sua energia com mais facilidade.

 

Se conectando com seu mundo interior (Introversão), ou se conectando com as pessoas (Extroversão). 

 

Eu sei que a gente pode recuperar a energia das duas maneiras, mas pense assim: qual delas você não viveria sem?

 

Eu, por exemplo, amo as pessoas, mas se alguém me dissesse que eu teria que ficar acompanhada o tempo todo, eu enlouqueceria. Mas se me dissessem que eu ficaria sozinha por muito tempo, não me assustaria.

 

Como há muita confusão em torno destas tendências, eu fiz uma lista para a gente desmistificar preconceitos, tais como “extrovertido é superficial” ou “introvertido é sinônimo de tímido”.

 

Vamos lá, então:

 

“Dezmitos” sobre os Extrovertid@s.


1 ~ Sou extrovertido, não um insensível extravagante

 

2 ~ Eu me interesso pelas conexões com o mundo e as pessoas, não sou carente

 

3 ~ Sei avaliar as situações e sentimentos com objetividade, não sou frio

 

4 ~ Te aceito até sem te entender, não acho que o mundo tem só um temperamento 

 

5 ~ Eu tenho dúvidas, não sou um poste de segurança para todo mundo se apoiar

 

6 ~ Eu fico quieto e sei escutar, não falo sem parar

 

7 ~ Sou alegre e fico mais feliz ainda com a tua felicidade, não sou um palhaço para alegrar as festas

 

8 ~ Sei realizar, não sou uma máquina para fazer o mundo girar 

 

9 ~ Sou sensível, não uma fortaleza intransponível

 

10 ~ Sou assim de carne e osso como qualquer ser vivente, não superficial

 

Como dizia James Baldwin:

 

"você pensa que a sua dor e seu coração quebrado não tem precedente na história do mundo, então você lê. Foram os livros que me ensinaram que as coisas que mais me atormentam são as mesmas que me ligam com todas as pessoas que estão vivas, ou que um dia já viveram" 

 

“Dezmitos” sobre os Introvertid@s


1 ~ Eu sou introvertido, não tímido

 

2 ~ Eu falo sem parar quando o assunto me interessa, não sou calado

 

3 ~ Honesto sobre mim, não rude com você

 

4 ~ Amizades profundas, não quero distância das pessoas

 

5 ~ Recarrego na solidão a intensidade dos encontros, não odeio sair

 

6 ~ Conexão com UMA PESSOA de cada vez, não sou um lobo solitário

 

7 ~ Sigo meu coração mesmo que vá contra o status quo, não sou estranho 

 

8 ~ Me divirto e tenho imenso prazer em casa e na natureza, não odeio festas 

 

9 ~ O universo interior capta mais a minha atenção, não sou um nerd arrogante 

 

10 ~ Sou assim de carne osso como qualquer vivente, não alguém que precisa ser curad@ para ser extrovertido.

 

Como dizia a Anais Nin:

 

“Nossa cultura torna tudo que é extrovertido em virtude. Nós desencorajamos a jornada interior e a busca pelo centro. Assim, perdemos a conexão com este centro, precisando encontrá-lo novamente”

 

 

 

#Introvertido #Extrovertido #Jung #FunçõesPsicológicas #AnaisNin #James Baldwin

 

301) TAO - Como saber se estamos no nosso caminho?

  Como nos ensina o sacerdote Taoísta Hamilton Fonseca Filho , existem tesouros que nos ajudam a saber se estamos em nosso caminho, o nosso ...