16 de jun. de 2022

454) O Maior Presente dos Filh@s para seus Pais

 


“O maior presente que um filho dá ao pai e à mãe é ser seu filho, assim os pais se tornam pai e mãe”


Eugenio Davidovich  

 

Alguns pais só “vão ter” seus filhos tarde na vida. Ou, de outra forma, seus filhos só caminharão até eles já adultos. Tem até bons pais que nunca os terão, se alguém ficou falando mal deles desde o deboche sistemático até a alienação parental.  E “bom”, aqui, não quer dizer perfeito.

 

Têm boas mães que “perdem” seus filhos nos primeiros anos da vida deles. Dito de outra maneira: seus filhos não caminham mais para elas ou rejeitam seus cuidados porque um dos dois (mãe ou filho) ficou doente ou longe por mais tempo do que a criança pudesse suportar. Ou porque também houve deboche e desprezo sistemático e até alienação parental. 

 

Existe ainda outros motivos que fazem as pessoas deixarem de exercer sua jornada como filho/a. Por exemplo: quando elas mesmas julgam cegamente seus pais; querem salvá-los e até debocham, excluem e os desprezam. Ou quando se tornam juízes, capatazes, aliados parciais e até mãe ou pai dos seus pais. 

 

Pode ser que haja, repito, um movimento de amor interrompido, quando na infância a mãe ou o pai por algum motivo estava longe fisicamente por mais tempo do que a criança podia suportar. Mas, como diz Mimansa, “nunca é tarde para ter os pais. E é sempre a primeira vez”. 

 

Geralmente, quando pensamos nisso, começamos a justificar nossas barreiras emocionais em relação aos pais citando os erros deles.  Mas o foco aqui é destacar nosso poder de escolher a forma como nossa jornada de filho será, até descobrir aqueles caminhos mais favoráveis para relação com eles. Nosso foco neste texto e na vida, não é descobrir como mudar a jornada dos nossos pais (que também podem reavaliar suas ações).

 

Pode até ser que o melhor caminho para eles seja parar de caminhar até eles, se isso for o mais adequado em um momento. Portanto, se os pais cometem erros, os filhos podem ficar presos neles por anos, ou descobrirem outros caminhos melhores até seus pais.

 

Por isso o Hellinger dizia uma frase sanadora para estas situações: Todo pai e mãe são os certos e seus filhos também. 

 

Ou seja:

 

Ser filho, todos nós somos. Mas ser filho dos nossos pais é uma jornada e tanto!

 

Mônica Clemente (Manika)

 

#EugenioDavidovich #BertHellinger #mimansa #paisefilhos #mãesefilhas  #paiemae #familienstellen #amor #constelacaofamiliar #psicanalise #jornadadosfilhos 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

456) Olhos da Percepção - Fenomenologia Hellingeriana

  Ilustração de Charlotte Edey Olhos da Percepção   - Fenomenologia Hellingueriana Mônica Clemente (Manika) Por que deixamos as imagens fa...