28 de abr. de 2022

445) Enxergar com o Coração

 

Enxergar com o Coração

Mônica Clemente (Manika)

 

Quebrar o coração, às vezes, está a serviço da quebra das ilusões, que são ideias sobre nós mesmos incapazes de abarcarem nossa inteireza.  

 

Um dia alguém seguiu o seu coração e, de repente, ele quebrou. Depois de um tempo se perguntou: 

 

Quebrei o meu coração ou a casca de ilusões em que eu estava metida? 

 

Se não fosse aquele amor, ela ainda estaria presa onde não mais cabia. Ainda bem que o amor enxerga o que não se consegue ver, dando a impressão de cegar quando, na verdade, veio libertá-la.

 

Mas atenção, ela seguiu o amor “que cega” e não o “amor cego”, um laço de destino inconsciente com alguém que precisa ser visto e incluído na família (Hellinger).

 

Este amor também vê algo que não está sendo visto, mas não rompe o que é previsto, levando a pessoa tomada pela cegueira deste amor direto a uma repetição de destinos geracionais.

 

Já o amor “que cega”, como dizia a astróloga e poetiza Marilza Alves Eches, nos guia entre as brumas, porque ensina a enxergar com o coração.

 

Mônica Clemente (Manika)


___________


PS: Marilza Alves Eches foi uma astróloga e poetiza brasileira que nos deixou há alguns anos. Suas poesias astrológicas, no entando, ainda nos inspiram. Eu coloquei a imagem de um Barco no meio da trilha do Sol sobre o oceano porque a Marilza associou sua poesia com Lua em Peixes junto com Netuno, quando uma bruma está nos cegando (Netuno) e só a sensibilizade (Lua) unida ao Amor Universal (Peixes) pode nos guiar para fora dela.

 

#amor #BertHellinger #AmorCego #Sentimento #familienstellen 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

449) Os Ensinamentos de Vaisakha Purnima

Lua Cheia da Bem-Aventurança   Mônica Clemente (Manika)   Você pode conversar diretamente com a Lua como um aprendiz. Ela vai ensinar ...