11 de fev. de 2022

421) Uma Pesquisa sobre a Força de Vontade

 


Força-de-vontade Equilibrista

Mônica Clemente (Manika)

 

Em um estudo do artigo “Self-regulatory failure: a resource-depletion aproach[i], algumas mulheres foram convidadas a assistir a parte mais triste de um filme cheio de gatilhos emocionais.

 

Sendo que os pesquisadores pediram para um grupo delas tentar se manter o mais neutro possível, e o outro grupo a ser o mais natural possível, podendo expressar suas emoções.

 

Depois da vivência, cada mulher foi convidada a degustar e a avaliar alguns sorvetes, embora os pesquisadores estivessem interessados, de fato, na quantidade da sobremesa que elas iam ingerir.

 

Sabe qual grupo comeu mais? (50% a mais do que o outro grupo)

 

O que segurou as suas emoções. 

 

A conclusão foi que “o autocontrole durante a 1a tarefa levou ao decréscimo no autocontrole na tarefa subsequente (…) por conta do esgotamento dos recursos autorregulatórios, o que prejudica o controle volitivo bem-sucedido.” (Vohs e Heatherton, 2000).

 

Essa pesquisa me fez pensar que se a força-de-vontade consome nossa energia para se manter, a autorregularão para conter as emoções, completar uma tarefa, realizar um objetivo ou se alimentar bem, precisa da escolha consciente de onde vamos colocar nossa energia.

 

Uma mulher equilibrista, que cuida dos filhos, casa, trabalho e relacionamento, talvez, “coma mais sorvete” porque sua energia está empregada em outras demandas. 

 

E, possivelmente, seus filhos e marido ainda podem cobrar mais esforços dela para que eles mesmos possam focar suas energias em seus interesses às custas da energia dela.

 

Se estamos em uma situação estressante, então, podemos nos perguntar: posso resolver ou mudar esta situação/relação/pessoa?

 

Se a resposta for “não”, nos perguntamos: o que faço aqui, consumindo minha energia que poderia estar sendo usada para um objetivo caro ao meu coração?

 

Assim podemos descobrir se temos um ganho secundário ao ficarmos fixados em situações sem solução, que já podemos abrir mão, como a desculpa de não falhar porque não vamos fazer o que queremos.

 

De fato, em alguns momentos, é a vida quem decide onde colocamos a força-de-vontade. Ainda assim, podemos encontrar desculpas para ficar paralisados. Seja qual for a situação, a força-de-vontade estará onde colocarmos a libido. 

 

Às vezes a vida (e o inconsciente) faz isso por nós, às vezes temos condições de escolher.

 

Mônica Clemente (Manika)

 

        #AutoControle #Dietas #Estresse #ForçaDeVontade #Vohs #Heatherton 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

449) Os Ensinamentos de Vaisakha Purnima

Lua Cheia da Bem-Aventurança   Mônica Clemente (Manika)   Você pode conversar diretamente com a Lua como um aprendiz. Ela vai ensinar ...