27 de dez. de 2021

403) Eros - O Amor que nos Acerta em Cheio

 


O Amor que nos Acerta em Cheio

Mônica Clemente (Manika)

 

 

Não somos nós quem amamos. É o amor quem nos acerta em cheio. É o Cupido quem lança suas flechas em nossos corações para nos apaixonar.

 

No entanto, durante tempos, eu pensei nesta imagem como uma metáfora engraçadinha do que acontece dentro da gente durante o enamoramento. Como a própria ciência o vasculhou nos hormônios conectados às atrações pessoais, tentando esgotar o assunto de vez.

 

Como algumas religiões e filosofias tentaram nos desviar do amor, com desenhos de corpos velhos e mortos, reduzindo-o em pulsões da carne ou na liquidez dos tempos atuais.

 

Filosoficamente, algumas destas linhagens científicas ou religiosas desprezam a alma, que não podem mensurar, ou o corpo, contrapondo-o a uma realidade superior desencarnada.   Se fundam numa cosmovisão dualista que polariza dimensões da existência.

 

Ainda assim, André Gorz, filósofo francês, escreveu uma declaração de amor cheia de tesão e sentido de existência para sua esposa de 82 anos, em seu livro “Carta a D.” E eu vejo uma aura específica em alguns casais quando Eros está por trás dos seus encontros.

 

Foi isso que me fez pensar que realmente existe uma força externa aos desejos, afinidades e comportamentos que pegam pessoas a serviço dela. E as jogam na arena do Amor para lhes debulhar até a essência da existência. Não estou falando de outros ingredientes que dão liga e apoiam as relações como o tesão, as afinidades e o desejo mútuo de ter parceria ou família.

 

Quem foi flechado por Eros, realmente vive algo extraordinário. Um presente que sente como não merecido e mesmo assim é desfrutado por ele.

 

É uma inversão mesmo. O amor nos quer. O amor quer nos experimentar. Ele não quer fazer você amar, ele quer amar você. 

 

Ele diz, através da pessoa que você foi flechada a amar, eu amo você.

 

É por isso que repito: não adianta procurar problemas em si mesmo se Eros ainda não acertou você.

 

Não adianta se curar de sei lá o que para encontrar um/a parceiro/a e viver um amor verdadeiro. Todas estas ajudas servem para quando o amor de casal chegar, mas não para ele chegar.

 

Porque quando Eros mirar você, nenhum escudo feito de problemas, baixa-estima e medos o impedirá de te acertar.

 

Mônica Clemente (Manika)

 

#Eros #Psique #amor #Encontros #Dualismo #AndréGorz 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

456) Olhos da Percepção - Fenomenologia Hellingeriana

  Ilustração de Charlotte Edey Olhos da Percepção   - Fenomenologia Hellingueriana Mônica Clemente (Manika) Por que deixamos as imagens fa...