28 de jun. de 2021

316) Você Joga o Triângulo Dramático?

 


Você joga o Triângulo Dramático ou de Karpman?

Mônica Clemente 

Neste vídeo no meu canal do youtube, eu explico um pouco sobre como o Triângulo Dramático atua.  Mas ainda vou explicar mais algumas de suas dinâmicas: 

Ele é um jogo psicológico que muitos de nós joga ou é “convidado” a jogar sem perceber o estrago que fará nas relações. Por isso, é bom conhece-lo para evitar os danos que pode causar. 

Cada vértice do triângulo tem um papel que se retroalimenta com os outros dois. A vítima, o perseguidor e o salvador. De fato há vítimas, algozes e ações salvadoras, mas Karpman está falando de um jogo no qual assumimos estes papeis porque eles nos dão um ganho secundário.  

A vítima encontra desculpas para sua falta de iniciativa, o perseguidor encontra um saco de pancada para a sua raiva e frustração e o salvador pensa escapar das suas dores tentando moldar o mundo às suas expectativas.  

Como diz Mimansa, nossa mestra na Constelação Familiar, saímos do triângulo quando renunciamos a qualquer um destes papeis e vamos para o centro, nosso centro.  

E como diz Bert Hellinger, “No centro sentimos leveza”  

Há ainda outras maneiras de lidar com ele, como explico aqui e aqui. 

É importante destacar que todos os jogadores do triângulo dramático fazem os três papeis, mesmo que aparentemente se cristalizem em um deles.

Sair deste jogo não significa excluir quem joga, mas tentar outro caminho para construir uma nova relação, sem cair no papel do salvador, vítima ou algoz.  

Qual dos papeis você se vê fazendo mais? Qual isca consegue jogar você dentro do jogo? Quais as suas estratégias para não entrar neles? 

Quer aprender mais sobre ele? A psicóloga Regina Silva @at.praxis introduz este jogo no curso AT101. Se quiser informações, o Contato dela é (11) 99111-7136

 

#triângulodramático

#triângulodekarpman

#vítimaPerseguidorsalvador

#AnáliseTransacional

#EricBerne #AT101

#nocentrosentimosleveza

 

27 de jun. de 2021

315) Virando do Avesso - scripts de vida e metanoia

 


Metanoia é uma palavra grega que significa, literalmente, mudar um pensamento ou visão de mundo, o que pode nos levar a uma expansão da Consciência. Seu propósito é o de desafiar as visões ultrapassadas e nos levar ao mais verdadeiro de nós mesmos.

Ela nos inicia nos processos analíticos, nas práticas espirituais e naturalmente, depois dos 40 anos, nos trovões da alma, atraindo a consciência para mais perto do centro auto-organizador da psique.

Rompendo a razão lógica. Exigindo, quase tiranicamente, algumas transgressões para que a pessoa se veja mais claramente. Nesta fase, os encontros amorosos revelam outros laços de amor desconhecidos, antes de podermos seguir em frente.

Alguns permanecem, outros vêm nos libertar de uma identificação inconsciente com um ancestral, que teve a mesma experiência que estamos tendo e ainda precisa de uma resposta que não temos.

Durante a Metanoia também fazemos trocas profissionais motivadas por um anseio pessoal até então desconhecido. Ou vivenciamos qualquer evento que cumpra esta função de nos confrontar com a nossa verdade interior. Se o nosso script de vida é de vencedor, acessamos o que nos faz feliz. Se o nosso script é de perdedor, acabamos derrotados.

Mas a própria Metanoia confronta o script impresso desde a infância, para podermos redefinir as nossas escolhas.

O problema é que o script do perdedor tem um 2º  gatilho quase intransponível:

1.    A pessoa foi criada para achar que não é boa o suficiente

2.    E que ninguém pode ajudá-la.

Por isso não busca ajuda, mesmo caminhando para o abismo. Ou busca a ajuda errada e fica nela, cumprindo seu script.

Como toda vitória começa com a frase “preciso de ajuda certa e vou encontrá-la”, a Metanoia grita:

“Pare! A derrota não é a sua verdade! É um chip imposto e escondido, para você acreditar que não tem chances. Mas você tem! Mesmo que tenha que virar do avesso.”

O avesso é tudo o que a gente pensava que era verdade sobre nós mesmos desaparecendo na verdade das nossas ações.

Afinal a vida não é feita de átomos, mas de histórias que atuam!

E a gente pode mudá-las, porque a alma nunca desiste da gente.

@historiasqueatuam
@constelacoes_mitologicas

@manika_constelandocomafonte

Mônica Clemente (Manika)

#metanoia #Jung #ScriptDeVida #EricBerne #Familienstellen #ConstelaçãoFamiliar

 

314) Você se Importa se eu sempre amar você?

 


Você se importa se eu sempre amar você?

Você briga com sua mãe porque ela briga com você. Ou com seu pai, marido, irmãos ou amigos. Não aguentando mais as dificuldades destas relações, você procura um seminário de Constelação Familiar.

Lá, sem nem ser a sua Constelação, você aprende a olhar. Então, de repente, os laços de amor não vistos, como um céu que queimava seus olhos, vem à luz. Envolvendo todos os presentes em seus braços.

As lágrimas de alívio vêm em seu auxílio, soltando as armas forjadas nos julgamentos, para descobrir que tudo, por trás da dor, era feito com estes vínculos não reconhecidos. E a sua alma diz, através do seu sofrimento finalizado: “você se importa se eu sempre amar você?”

Exatamente como você diz para uma pessoa que você ama e nem sabia, levando gerações a reencontrá-la no que parecia ser seus tormentos.

Mônica Clemente (Manika)





____________

Heaven’s Gonna Burn Your Eyes  - m
úsica do Thievery Corporation


“Do you applaud fear
Do you hold it near
Are you afraid to live your life
The way I perceive
In my arms I'll catch you
Do you mind If I always love you
Heaven's gonna burn your eyes
You'll see
In my dream I'll catch you
Into my arms I'll catch you
Do you mind if I always love you
Heaven's gonna burn your eyes”

“Você aplaude o medo?
Você segura-o perto?
Você tem medo de viver a sua vida
Da forma como eu percebo?
Em meus braços eu vou pegar você
Você se importa se eu sempre te amar?
O céu vai queimar seus olhos
Você vai ver
No meu sonho eu vou pegar você
Em meus braços eu vou pegar você
Você se importa se eu sempre te amar?
O céu vai queimar seus olhos.”


#AmorCego #Familienstellen #Dor #BertHellinger #ConstelaçãoFamiliar #Sofrimento #ThieveryCorporation #HeavenGonnaBurnYourEyes
#DoYouMindIfIAlwaysLoveYou

313) Relato de uma Constelação Familiar com o Bert Hellinger

        

No começo de 2013 eu fui para Munique fazer um seminário de Mulheres com Sophie Hellinger. O Bert não estava lá. Neste seminário, uma moça fez parceria comigo, sendo eu e ela representantes da Mãe uma da outra em algumas vivências.

Meses depois, em 3 de maio, eu estava em Bad Reichenhall, no seminário Internacional de Familienstellen com Bert e Sophie Hellinger. E eu vou constelar. O Hellinger me coloca no palco - na foto eu sou a da direita, vestida de preto na frente da câmera.

Eu fico lá, olhando o vazio e sentindo um movimento que me tomaria por inteiro. O Hellinger, então, escolhe entre 500 participantes alguém para colocar na minha frente, que representaria a minha mamãe.

A moça sobe ao palco e se posiciona na direção do meu olhar perdido. Quem era ela? A mesma moça que fez as vivências comigo em Munique e que eu nem sabia que estava lá em Bad Reichenhall. Naquela hora, ela também me reconheceu e então nos entregamos ao que atuava em nós.

Estas sincronicidades acontecem a todo momento na Constelação Familiar, porque somos conduzidas por algo que ultrapassa nossa compreensão, mas faz todo sentido.

E foi naquele instante que confirmei que a Constelação é um caminho, não um instrumento, que nos leva ao que nos faz feliz. Então eu não preciso fazer muitas constelações para mim mesma, mas estar lá, junto, ressoar com aquilo que serve à todos.

Como dizia Sarkar “ A Força que Guia as Estrelas Guia Você também “

_________

Em outubro de 2021 recomeçam os Seminários Internacionais Anuais, agora de forma Presencial e Online. E é para todos com tradução em vários idiomas, incluso português. Se você sentir o chamado, sigam a Sophie Hellinger e a Hellinger Sciencia no Instagram e o site oficial

www.hellinger.com

@sophie.hellinger

@bert.hellinger

@hellingerschule

#BertHellinger #SophieHellinger #Love #Familienstellen 

#BadReichenhall #SeminárioInyernacional #Amor

#Sarkar #ConstelaçãoFamiliar

312) Hellinger Schule - Formação em Constelação Familiar

 

Final de 2016 abria a 1ª  turma (G1) de formação em Familienstellen (Constelação Familiar Original Hellinger) da Hellinger Schule no Brasil. Esta é a escola oficial da Constelação Familiar no mundo, criada por Sophie Hellinger no ano 2000.

Em abril de 2020 a gente ia se formar com a G2 e G3, mas a natureza impôs um desafio maior: cuidar com amor do Planeta e da vida.

Quem escutou este chamado está fazendo seu melhor, tanto é que a formação da Hellinger Schule foi adiada algumas vezes até decidirem que a formatura híbrida (presencial e online) é este final de semana.

É claro que ninguém se forma em Constelação Familiar, porque ela é uma arte. As Artes levam mais de 30 anos nos forjando num ofício. Já estou há 16 anos e na 4a formação sendo forjada nesta arte. Falta ainda.

Muito obrigada ao Bert e Sophie Hellinger criadores da Familienstellen e à Sophie Hellinger @sophie.hellinger, nossa professora e diretora. Prometo seguir vossos ensinamentos!

Obrigada aos professores Mimansa (que trouxe a Constelação Familiar para o Brasil), Angélica Olvera, Wolfgang Deusser, Gerhard Walper, Joel Weser, Cristina Llaguno, Isabel Oliveira, Simone Arrojo, Matthias Bronk, Thomas Wittig, Renato Bertate.

Vocês deram o melhor!

Obrigada à Innovare e aos seus professores, entre eles a orientadora Roberta e voluntários que nos apoiaram no TCC. Em especial a que me apoiou, Marilise Einsfeldt.

Obrigada a todas e todos meus colegas! Como vocês a jornada foi possível!

Obrigada a toda equipe “por trás das câmeras” que tornava possível esta empreitada no Brasil, entre eles Matthias Posh e Sasha Bose da Alemanha. Obrigada ao Sami Storch que encontrou o Inácio Junqueira da Faculdade Innovare para criar o curso de pósgraduação.

Obrigada à equipe que nos recebia, respondia e-mails e nos apoiava: Priscila Carvalho, Marcos Castro, Beth Farias, Karla, Adriana Bose, Mônica Dharma, Daniel e outros voluntários!

Obrigada aos técnicos de som e filmagens! Em especial o André que nos acompanhou desde o início!

Obrigada à Vera Carniel, quem me apresentou a Constelação Familiar em 2004, à Renate Muller que fez minha 1a Constelação e à Celma Villa Verde, minha 1a professora deste caminho.

Obrigada Carla e Sama por me incentivarem a atender profissionalmente com a Constelação Familiar, sendo meus produtores em São Paulo.

Muito Obrigada à parceria da minha amiga irmã Adriane Amaral (Arati) com o Histórias que Atuam e os Seminários em Porto Alegre!

Obrigada aos amigos Deniz, Andrei, Iria, Liilavati e Revatii por serem meus parceiros nesta jornada!

Muito obrigada a tod@s vocês que um dia buscaram, divulgaram e incentivaram o meu trabalho.

MUITO OBRIGADA MAMÃE E PAPAI! TIA, IRMÃOS, CUNHADOS E AMIG@S!

#Gratidão #BertHellinger #SophieHellinger #HellingerSciencia #HellingerSchule #Familienstellen #ConstelaçãoFamiliar

311) Extrovertido ou Introvertido ?

 


Introvertidos e Extrovertidos

Segundo Jung, há 2 movimentos de acesso à realidade em todos nós, sendo que um predomina e o outro é auxiliar.

Numa pessoa introvertida, o mundo interno predomina, mas isso não faz dela tímida, antissocial, séria e complexa, embora possa ser tudo isso também. Ela, inclusive, pode ser comunicativa e engraçada quando lhe convém.

Uma pessoa extrovertida tem o mundo externo como predominante, e isso não quer dizer que ela seja espalhafatosa, superficial, prática e racionalista. Ela pode ser tudo isso e profunda, hipersensível e calada também.

A diferença básica, então, é em qual dos mundos, interno ou externo, nos sentimos mais em casa. E como acessamos a vida: de forma objetiva ou subjetiva.

O introvertido, portanto, se cansa mais no contato com as pessoas, porque ele tem que processar suas experiências com a sua realidade interna.

O extrovertido se cansa da solidão ou da falta de estímulo, porque o mundo em sua volta é o que aprofunda a sua alma.

Quando o introvertido está bem equilibrado, ele usa sua 2a função, que é extrovertida. Assim, tem boa relação com o mundo e as pessoas. Isso não quer dizer que ele não tenha que voltar para a concha para se recarregar.

Quando o extrovertido está bem, ele se retira um pouco do mundo, se recuperando no silêncio do seu sábio coração.

Isso não quer dizer que ele não vai voltar para o mundo de fora para recarregar a sua energia.

Na relação um com o outro, um introvertido tem muito o que aprender com o extrovertido e vice-versa, mas não podem se tornar diferentes do que são.

Por isso, se exigirmos a presença constante do introvertido, achando que isso é a prova de amizade ou amor dele, ele vai fugir da gente.

Se exigirmos horas de papo cabeça, num local fechado, e só encontros a 2, com um extrovertido, como se isso fosse a prova de que ele gosta da sua companhia, ele vai fugir da gente também.

Não porque não nos amem, mas porque eles têm que ser fieis ao modus operandi de suas funções cognitivas. Da mesma maneira, se a gente não se respeitar, vamos pifar.

Mônica Clemente (Manika)

#Jung #Introvertivo #Extrovertido
#FunçãoCognitiva #Respeito

310) Os Laços de Amor Não Reconhecidos por Trás de uma Doença

 


Se a dor, como disse Bert Hellinger, “surge ali, onde não participo da minha vida de acordo com o meu potencial”, a doença surge de um laço de amor não reconhecido, por pessoas que pensávamos que nem existiam.

Por isso, como descobriu Hellinger, se sigo, internamente, o sintoma acabo enxergando os excluídos. Não à toa, acontecem mudanças físicas - como vermelhidão ou espasmos - quando tocamos em assuntos que guardam o amor escondido, como numa Constelação familiar, terapia e até numa Leitura do Mapa Astral.

Olhando mais fundo, estes sintomas têm relação com alguma pessoa ou assunto não visto. Seja uma mágoa velada, uma pessoa excluída, uma falta dolorosa na gente, ou na família ou com os ancestrais.

À medida que se olha para o que aconteceu, que reconhecemos os sentimentos envolvidos (medo, raiva, amor etc.) respeitamos o evento e, finalmente, desistimos de interferir no que não podemos mudar, há um alívio e os sintomas físicos desaparecem.

Eles não precisam mais sinalizar o caminho de amor que não percorríamos. Ah, este caminho não ama só as vítimas, mas os algozes também. Em última análise isso é Constelação Familiar: trazer à luz os laços de amor não reconhecidos.

E isso é o que os nativos de Bioko (ou Fernando Poo) no filme "Palmeiras na Neve" (2015) já sabiam: a doença olha para algo que ainda não teve o seu lugar reconhecido.

Mônica Clemente (Manika)





________

A cena desta última foto é do Filme “Palmeiras en la nieve" - 2015 - baseado na novela de Luz Gabás. Que eu super recomendo.



#Amor #Dor #Doença #BertHellinger
#PalmeirasNaNeve #Familienstellen
#cinemaeconstelaçãofamiliar

369) O Beijo e o Amor

  Esta linda frase é de um amigo do meu psicanalista Eugenio Davidovich. Eu a escutei no divã há mais de 12 anos. Por isso eu a atribuo ao E...