7 de mai. de 2021

290) Mãe Fada ou Mãe Bruxa?

 


Quando eu pergunto: como é a sua relação com a sua mãe? A resposta, 99% das vezes, é um julgamento pro bem ou pro mal. Ou pior, um diagnóstico: “ela é narcisista”, “ela é bipolar”, etc.

 

A pergunta é sobre “sua relação com sua mãe” e não “como é sua mãe?”.

 

A resposta cheia das nossas dores viradas em julgamentos, revela uma expectativa que devia ficar na Infância, quando a mãe é o nosso corpo e paraíso, atendendo e frustrando as nossas necessidades.

 

Se esta frustração é muito grande, ao invés de nós, adultos, mudarmos como nos relacionamos com ela, para ver se conseguimos outra resposta da vida, mantemos a dinâmica de sofrimentos.

 

Por exemplo, se toda vez que queremos a ajuda da nossa mãe para sermos mais felizes numa relação amorosa, e ela fala mal dos homens, do casamento ou da gente, imediatamente ficamos mais confusos ainda.

 

Aí, se alguém pergunta: “como é a sua relação com sua mãe?”, respondemos: “ela me odeia!” ou “ela odeia os homens!”...

 

Ao invés disso, podíamos realmente ter pensado sobre a nossa relação com ela. Tipo assim: “Nossa! Eu continuo esperando algo que ela não pode me dar. Aí eu a forço a me dar o que não gosto e depois eu a julgo por isso. Vou fazer diferente de agora em diante!”

 

Isto nos forçará a descobrir tudo o que ela realmente pode nos dar. E desta imensidão, o que queremos.

 

Depois de descobrirmos um dos mais valiosos presentes que a nossa mãe nos deu, como a vida, podemos construir novos caminho até ela. 

Não é isso que fazemos com um GPS ao procurar a melhor rota para chegar aonde queremos? 

 

Pode ser também, que o melhor jeito de nos relacionarmos com ela, quando nos espezinha, seja dizendo: “Ih! Tenho que trabalhar! Depois falamos? Te amo! Tchau.”

 

Mas sem a esperança de que ela vai fazer diferente, se a gente chegar nela da mesma maneira.

 

Por isso, toda relação de casal fusional e apaixonada, que faz a gente sentir que perdeu um braço quando termina (e sempre termina), vem para nos contar sobre uma relação simbiótica, que insistimos em manter com a nossa mãe na vida adulta.

 

Então eu (me) pergunto: qual a sua relação com a sua mãe? Como você chega nela? O que espera dela? O que faz com ela? O que você pode mudar para ter uma resposta diferente?

 

Você escolhe se quer ter uma relação fada ou bruxa com a sua mãe.

 

#Mãe #Filhas #Filhos #RelaçãoComAMãe #RelaçãoSimbiótica #PaixãoDoentia #FadaBruxa 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

353) Centenário de Paulo Freire

  Centenário de Paulo Freire   Há cem anos, em 19/09/1921 nascia Paulo Freire em Recife. Agora em 2021 comemoramos o Centenário deste gra...