24 de mar. de 2021

275) Decepção ou Expectativas Irreais?



Podcast - Constelações Mitológicas - em todas as plataformas

 Decepção ou Expectativas Irreais?

O Link do podcast está no título 

e o áudio completo está no final do texto

Se decepcionar é como exigir da Noite o que ela não pode ser, mesmo que ela tivesse dado a você o Céu inteiro.

Pode ser que nunca tivesse sido o Céu o seu amor primeiro, e sim o mar que refletia as estrelas.

Ainda assim, as estrelas do mar não brilham com as da Noite, mesmo que possam ser tocadas pelos seus dedos.

Verdade! Ninguém precisa ter menos do que é. Mas me diz, quem sabe totalmente sobre Si mesmo?

Ah, entendi! Sua Vênus está em signo diferente da Vênus do seu amante. Você quer um beijo ardente e ele quer macarronada ao dente?!

Hum... bom, se há amor mesmo, diga para ele o que você quer. E pergunte o que você pode fazer por ele. Vocês não são mais crianças esperando a mãe adivinhar os seus desejos.

Se vocês dois conseguirem contemplar um ao outro, ainda vai faltar dois planetas inteiros.

Você ainda terá que cuidar da sua Vênus, ele, da Vênus dele, e vocês dois concordarão em aceitar como cada um expressa o seu amor.

Ao menos é o que diz este horizonte imenso do seu olhar sedento.

Podcast Constelações Mitológicas @constelacoes_mitologicas


#ConstelaçõesMitológicas #Decepção #Expectativas #Aceitar #Sim #VênusEmSignosDiferentes #Sinastria


274) O TAO, a Astrologia e o nosso Temperamento

 


O TAO, a Astrologia e o nosso temperamento

Coloquei esta foto para ilustrar como podemos descobrir nosso temperamento pelo mapa astral e como isso se reflete no nosso rosto e no comportamento:

Eu sou melancólica (olhos tristes) e colérica (fazendo esporte). Antes de ensinar você a encontrar seu temperamento no seu mapa, vamos ver as relações entre o TAO e a Astrologia, uma vez que as forças que condensam o Espírito em tudo o que há podem ser descritas e compreendidas de diversas maneiras.

Segundo o TAO há 2 forças no universo:

·      Cinética: expansiva + fluente = que gera o movimento

·      Estática: coesiva + cristalizada = que gera a paralisação e a morte.

Elas são inseparáveis, se transformando uma na outra, e são chamadas de Yang e Yin, respectivamente. Suas relações no universo produzem 4 energias:

Fogo (espírito, yang-yang)

Água (emoção, yang-yin)

Ar (mente, Yin-Yang)

Terra (corpo, Yin-Yin)

Estes elementos se dividem em qualidades: quente, seco, úmido e frio, os mesmos que deram origem aos 4 humores (fluídos) da medicina de Hipócrates, precursor do estudo sobre temperamento:

colérico (quente e seco) - Fogo: Quente + Seco

sanguíneo (quente e úmido) - Ar: Quente + úmido

melancólico (frio e seco) - Terra: Seco + Frio

fleumático (frio e úmido) - Água : Frio + úmido

Estas qualidades dos elementos podem ser descritas assim:

·      Quente: busca a periferia, expansivo e centrifugo (para fora).

·      Frio: centrípeto (para dentro), quer voltar para o seu núcleo

·      Seco: cristalizante, endurecedor e paralisante, tira a mobilidade

·      Úmido: leve, fluído e cheio de movimento

Na Astrologia, estes elementos regem os signos:

Fogo (Áries, Leão e Sagitário),

Água (Câncer, Escorpião e Peixes),

Ar (Aquário, Gêmeos e Libra)

Terra (Capricórnio, Virgem e Touro)

Mas você vai descobrir seu temperamento não só pelo seu signo, mas pela quantidade de planetas em cada signo do seu mapa. Conte o Ascendente também.

O elemento que está seu Sol (seu signo) e a maioria dos seus planetas num determinado signo, geralmente é seu temperamento.

Se quiser, me conta aqui nos comentários a descoberta do seu temperamento no seu mapa?

#TAO #Astrologia #Temperamento #Signos #YinYang

273) A Arte de pedir Ajuda

 


John Lennon estava passando por uma crise quando compôs Help. Na época, Os Beatles eram o grupo de rock mais famoso do mundo, com uma quantidade exaustiva de shows e assédio incansável da imprensa e dos fãs.

Eles já não conseguiam mais compor seus sucessos com liberdade e autonomia criativa, levando o grupo ao esgotamento. A letra de Help começa dizendo que ele precisa de alguém, que já não é mais capaz de ser autossuficiente como pensava que era.

Este é um ponto de virada para muita gente: descobrir que precisa do outro. E, principalmente, descobrir que precisa verbalizar a sua necessidade de ajuda.

É neste momento que todos os nossos “eus” amotinados gritam por meio de diversos sintomas físicos e psíquicos, porque não aguentam mais viver na prisão do nosso silêncio.

E aí começa outra jornada, a procura da ajuda certa. E como isso pode levar anos, mesmo tendo escutado Help mil vezes, vou dar uma dica bem simples, mas eficaz:

Terapeuta é “igual a marido”, a gente “namora” alguns até conhecer o certo.

E nunca é a linha terapêutica que importa, mas ele/a, o terapeuta.

Ou você acha que um casamento bem sucedido é por conta do nome do marido, ou da esposa, e não pelo amor que os uniu?

#Ajuda #Psicanalise #terapias #Beatles #ArteDaAjuda

272) Feliz Aniversário Astrológico de 2021

 


Vênus e Seus Relacionamentos

manikastrologia@gmail.com

Iniciei um outro blog com meus podcasts:

Constelações Mitológicas

Feliz aniversário astrológicos! No dia 20-03-2021, às 6:25:13, quando o Sol entrou em Áries, iniciando um novo ciclo astrológico.

Marte, regente de Áries e deus de Março, tem uma relação de amor intenso com Vênus, regente do ano.

Como os deuses não devem ser compreendidos isoladamente, este ano será marcado por esta relação de amor e brigas.

Qual amor? O que a gente desperta, não o que sentimos. Quais brigas? As que valem à pena, não as que nos convidam.

O 1º  amor que despertamos é o da nossa mãe. Se houve problema nesta fase da infância, este é um ano de soluções dos amores interrompidos.

Que bom que Vênus chega com Marte, ou ninguém tomaria consciência do que precisa.

Já as brigas que valem à pena são as que nos levam para a nossa força. Por exemplo, não vale à pena brigar com a balança para “perder uns quilos”, mas vale “ganhar massa magra”, o verdadeiro significado de emagrecer: GANHAR e não perder!

Aliás, não há sucesso quando a meta começa com “perder”. E por que estou falando do corpo? Porque é só o que a gente precisa para conseguir a liberação. Ao menos foi o que Krishna falou para o Arjuna no Mahabharata.

E porque Vênus rege Touro, com seu elemento Terra, que tece o nosso corpo. E rege Libra, oposto à Áries. De novo Áries, que será o ascendente do ano, com seu regente Marte junto ao Nódulo Norte e à Lua em Gêmeos na casa 3.

O que quer dizer que vamos aprender sobre o que os Gregos diziam há milênios: o lugar arquetípico de poder do deus Marte é fora da polis, fora da cidade.

Ele, portanto, não serve para fazer política. O militarismo, arena da sua ação, não serve para administrar cidades.

Este ano também será excelente para criar bases sólidas para carreira. Ou para começar um trabalho inovador,
que use as capacidades Venusianas de se relacionar.

O mundo virtual continua pedindo para ser colonizado por propostas que não deixem ninguém de fora. Como? Descentralizando nossas perspectivas:

-  O sucesso do ego não é a única meta da vida.

- O dinheiro trabalha pra gente e não ao contrário;

- pertencer não é só ser aceito pelo o que já existe, mas criar outros modos de vida que incluam mais.

Seja bem-vinda e bem-vindo aos podcasts e a pesquisadas Constelações Mitológicas!

 

#ConstelaçãoFamiliar #Mitologia #Vênus #Afrodite #Marte #Ares  #ConstelaçõesMitológicas

15 de mar. de 2021

271) Nosso Lugar de Poder

 


Quando nascemos nossos pais nos dão um lugar na vida e na família. Às vezes, aquele é nosso lugar. Às vezes, não.

 

Grande parte das nossas mais invisíveis lutas é encontrar o nosso lugar. O encaixe certo do nosso poder.

 

Será que somos mesmo o filho mais velho? Ou nossos pais tiveram outros filhos antes da gente, que nunca tiveram um lugar?

 

Será que fomos bem-vindos? Ou será que escutamos, de diversas maneiras, até educadas, que a nossa chegada foi um estorvo? 

 

Será que nossos pais lidavam bem com seus sentimentos a ponto de lidar bem com os nossos? Ou éramos crianças choronas, ou hiperativas, ou..., que atrapalhavam a paz familiar?

 

Será que nascemos com o sexo certo? Ou nossos pais queriam um menino ou uma menina?

 

Será que nosso gosto pela leitura era aceito pelo pai esportivo? Ou ele nos forçava desafios físicos difíceis até para os adultos? 

 

Será que nossa introspecção tinha um lugar para a mãe extrovertida? Ou ela nos levava ao terapeuta para a gente ficar como ela?

 

Será que tivemos tempo psicológico para aprender a ler? Ou queriam exibir nossos feitos para os amigos?

 

Será que...? Ou...?

 

Durante muito tempo, o lugar que não era nosso nos deu uma musculatura atrofiada e dormente. Mas também uma força especial. A força dos que aprenderam o que não fazer, antes de se abrirem para o verdadeiro tamanho deles.

 

Se naquela época não foi possível voar, agora é.  Como? Começando a dizer o que não nos disseram, e que apontaria o verdadeiro lugar. Por exemplo:

 

“Eu sou o filho do meio! E o meu irmão mais velho tem seu lugar!”

 

“Eu sou muito bem-vindo! Inclusive pelos meus pais!” (Que falavam ao contrário, para eu não acessar o meu valor e assim nunca ter coragem de sair de perto deles).

 

“Ler é tão corajoso como andar a cavalo!”

 

“Ser introvertido é tão profundo como é expansivo ser extrovertido!”

 

“Meus sentimentos são riquezas que posso usar!”

 

“Amo ser mulher, ou homem, ou LGBTQU!”

 

E assim, descobrindo que não nascemos para atender as expectativas dos nossos pais, e nem eles da gente, embora suas funções sejam nos apoiar até certa idade, passamos a nos aceitar e aos outros.

 

E, principalmente, encontramos nosso lugar. 

 

#LugarDePoder #Expectativa #Frustração #Limites #Opressão #Repressão #Autoconhecimento

 

270) A Fabulosa História dos Gigantes que queriam Engolir o Sol

 



Antes do primeiro gigante tentar engolir o Sol, os humanos falavam com as árvores, que escutavam o vento, que dançava para o Céu, que flertava com a Lua, que se deitava sobre as águas, mais interessadas em sonhar. 

 

Naquela época, nenhum ser era sacrificado em nome de mentiras ou das guerras, embora as sombras gigantescas ainda tentassem destruir a vida do planeta.

 

Um dia, a 5ª geração de gigantes desistiu do Sol para conquistar a Terra. Porque se o Sol não podia ser derrotado, sua luz não entraria em mais ninguém.

 

Foi assim que eles viraram um exército de poeira, encapsulando todos os viventes, que aos poucos se esqueceram das conexões que tinham uns com os outros.

 

O mundo ficou perigoso. Os Sacis se esconderam, a dor virou sofrimento e a linguagem dos animais não era mais entendida por ninguém. Entre os humanos surgiram as guerras, o mal-entendido e as muralhas, embora continuassem a se amar.

 

O exército percebeu que se jogasse os homens contra as mulheres, a vida humana no planeta acabaria.  Mas nem assim eles venceram, porque existe algo intrínseco no feminino que não a deixaria a vida acabar.

 

Este algo é o princípio tecelão. A ponte de todos os vínculos. Como uma mulher geraria um filho com a semente do amante, trazendo dele a outra família para dentro do novo ser, se não fosse capaz de unir em si o que antes estava separado?

 

Como ela teceria um novo corpo do seu, se não estivesse em comunhão com o invisível, morada de quem vai nascer? Como um homem nasceria de uma mulher sem ter nele a lembrança das conexões feitas? 

 

O 5º gigante se enfureceu! Ele decidiu, então, fazer todos acreditarem na inferioridade das fêmeas, humanas ou não.  Deste tempo em diante, muitas delas começaram até a se odiar, com outros as tratando desumanamente.

 

Essa foi a fase mais difícil da história. Quase que o gigante venceu. O que ele não sabia é que o feminino também enxerga no escuro, como a Salomé cega de Jung anda ao lado do profeta Elias.

 

Nós nos unimos, já que nossa natureza é fazer conexões, mesmo nos porões escondidos, no esquecimento dos nossos feitos ou na humilhação. E de lá, como Fênix, renascemos para manter a sociedade planetária voando, porque sempre soubemos que um pássaro não pode voar se uma de suas asas está em cativeiro.




 

A todas as mulheres, homens e LGBTQ+

Feliz dia das mulheres!

Junt@s somos mais!

 

#FelizDiaInternacionalDasMulheres #8deMarço #VivaAsMulheres

 

369) O Beijo e o Amor

  Esta linda frase é de um amigo do meu psicanalista Eugenio Davidovich. Eu a escutei no divã há mais de 12 anos. Por isso eu a atribuo ao E...