28 de nov. de 2020

221) A Medusa com a Cabeça do Perseu

 


Medusa com a Cabeça de Perseu - Luciano Garbati


No século VI a.C. Ésquilo escreveu a trilogia Oréstia, uma reflexão sobre a justa justiça no lugar do justiçamento feito com o “sangue por sangue” das vinganças. A personagem que a possibilitava na trilogia, é a deusa Atená.

 

Desde lá até hoje a buscamos por meio dos direitos adquiridos. E nos tribunais da civilização Ocidental.  

 

Esta deusa, no mito da Medusa, é responsável por transformá-la em um monstro, com serpentes torneando seu rosto bonito. Com o estigma de petrificar quem a encara, ao invés de ser vista. Como quem dissesse: quando não há justiça criamos assombros.

 

Atualmente subverteram o mito da Górgona, a Medusa, para renovar a discussão da justiça em caso de violência contra a mulher, com a obra “A Medusa com a Cabeça de Perseu”.

 

Ela é uma estátua do artista ítalo-argentino Luciano Garbati, instalada em outubro de 2020 perto de um tribunal de Nova York, que trata de crimes sexuais.

 

O convite desta instalação foi feito pelo movimento #MeToo, lançado em 2017, convidando mulheres que sofreram algum tipo de assédio sexual a colocar a hashtag em suas redes sociais. 

 

A obra, ao manter a Medusa viva, é um contraponto à imagem de Perseu, no mito, segurando a cabeça dela, morta, como um troféu.

 

E é uma reviravolta neste estatuto imagético milenar, ao afirmar agora que as mulheres que sofrem alguma violência não serão mais culpabilizadas pelos crimes que sofreram. 

 

Qual reviravolta imagética?

 

Em uma das versões do mito, a Medusa, uma linda mulher, é desejada pelos deuses. Um dia, Poseidon a violenta e Atená, a deusa da justiça, a transforma em monstro, com serpentes no lugar dos lindos cabelos.

 

Não é assim que ficam as meninas, meninos e mulheres que sofrem abuso sexual e não encontraram apoio: com a sua dor engolida, se transformando em veneno saindo pelas ventas?

 

Considerada um monstro desde então, sua fúria, no lugar da beleza raptada, petrifica quem a encara de frente, como quem fica paralisado diante do terrível.

 

Perseu, então, é enviado para decepar a cabeça mágica da mulher monstruosa, colocando-a em seu escudo. 

 

Mas agora surge uma nova imagem: a Medusa Viva, com a cabeça do Perseu, na frente de um tribunal.  Lá, onde se busca a justa justiça e não a vingança dos justiçamentos.

 

Por isso a nova imagem não está segurando a cabeça do semideus como um troféu, querendo provocar uma guerra entre os sexos. Ao contrário, a Medusa Viva altera a tragédia do mito com um basta:  Chega de fazer a vítima ficar invisível ao torná-la culpada dos abusos que sofreu! 

 

Chega de alguns ficarem indignados se vem a público (olhar para Medusa) que um menino sofreu abuso, mas petrificados, sem fazer nada, quando descobrem o que aconteceu com uma menina ou uma mulher.

 

E é neste sentido, também, que a cabeça de Perseu está em uma de suas mãos. Medusa é a dona e a cabeça do seu corpo, não ele. E é por isso que segura uma espada baixa, em sua outra mão. Ela não busca vingança, mas a justa justiça que não recebeu.

 

#Medusa #Mitologia #MedusaViva #JustaJustiça #LucianoGarbati #MedusaComAcabeçaDePerseu

 

 

220) A Observação a Laser de Alguns Terapeutas

 


Nesta foto eu, Mônica Clemente (Manika), estou entre o Hellinger e a Sophie. Era 2013, em Bad Reichenhall, e eu caminhei até eles para fazer minha Constelação Familiar.

Os Hellingers não falaram nada e já sabiam de tudo. Minha Constelação levou 15 minutos entre o meu espanto do Hellinger ter acertado o alvo em 10 segundos e o que acontece até hoje, 7 anos depois.

Quando eu fiz a 1a entrevista com meu psicanalista (2008), em 5 minutos ele acertou o alvo também e mudou minha vida.

Até 2020 eu me perguntava como eles tinham feito aquilo de não me conhecerem e, sem rodeios, serem certeiros no que eu precisava?

Minhas respostas eram: são muito experientes. Os dois estavam em torno de 80 anos com mais de 40 ajudando os outros. São bruxos, sábios, intuitivos...

Aí, eu fiz o AT101, curso introdutório de Análise Transacional com a Regina Silva, que leva 4 noites. E então descobri a mágica. A mágica é sim composta pelos anos de experiência dos terapeutas em suas respectivas áreas, suas intuições e sensibilidade, assim como um “detalhe” que me escapava.

Na Análise Transacional este “detalhe” se chama Estados de Ego. Caminhamos a vida todas pelos estados do Pai/Mãe, Adulto e Criança. E eles se dividem em mais alguns estados, no circuito positivo e negativo.

Me observando, eu caminhei até o Hellinger e até o meu psicanalista em determinados estados de ego no circuito negativo.

E, embora o meu psicanalista não tenha usado a AT, como possivelmente o Hellinger pode ter usado, já que trabalhou com o Script da Análise Transacional por anos, os dois viram qual a minha postura e, portanto, a dinâmica que eu estava emaranhada.

Com a psicanálise e a Constelação a gente aprende a observar o mundo sem expectativas. E com a AT aprendemos e ver estes estados de ego na gente e nos outros, a migrar por eles para formar relações positivas e a desmanchar jogos psicológicos doentios.

Aprende sobre permissões, outra “mágica” para sair dos mandatos, e sobre transações, contratos, script e muito mais.

Se sentir o chamado de fazer o AT101, fala com a Regina Silva pelo WhatsApp (021 11) 99111-7136.

#AnáliseTransacional #EricBerne #BertHellinger #SophieHellinger #InternationalCamp #HellingerScule

219) Você é a Bênção


 

218) O que convida soluções: fazer perguntas ou afirmações?

 


O que você acha de fazer perguntas, ao invés de afirmações, se quer uma solução?

Discutir a Relação, DR, geralmente afasta mais do que resolve conflitos, porque esquece as perguntas. Por exemplo, uma pessoa diz: “Tudo fica nas minhas costas. Você tem que dividir as obrigações comigo.”

Embora a afirmação esteja clara, ela não convida o outro para dentro da solução, reeditando justamente o que se quer resolver, a falta de parceria.

Aliás, DR está à serviço de melhorar os contratos da parceria, o que conseguimos perguntando. A pessoa, então, marca a hora da conversa, evitando trazer a DR aleatoriamente. Ela diz: “amor, você pode conversar comigo sobre a casa? Quando?

No encontro pergunta: “amor, o que acha de a gente criar novas estratégias de cuidar da casa? Tem sugestões?”

E não acrescenta: “porque fica tudo nas minhas costas”.

Se o/a cônjuge não topar, ou não der solução, ou não cumprir o que decidiu, então é hora de mudar as expectativas e fazer novas perguntas.

Se for impossível... a pessoa deve avaliar se quer assumir a parte que não tem troca. Ou o fim, sempre doloroso, da parceria.

Trago esse assunto porque Plutão está muito ativo ultimamente. (estamos em novembro de 2020 e Plutão está atuando forte desde fevereiro do mesmo ano).

E se tem o Plutão, tem ancestrais “querendo” resolver suas questões através das nossas DRs.

Então a raiva não solucionada de um avô, por exemplo, toma a boca do neto, que soltará as frustrações ancestrais na esposa.

Nos porões de Hades e Perséfone estão as potências mal utilizadas, desvirtuadas e renegadas por gerações esperando nossa aceitação e integração.

Como Marte está acionando Plutão (Hades), conflitos inflamados não superados entrarão em erupção, pressionando um prisioneiro de Hades (potências nossas ou ancestrais) a vir à tona para ser acolhido ou liberado.

Como Hellinger observou, o que ainda não foi resolvido em uma família busca sua solução geração após geração. E como Hades não libera nada facilmente e Marte é impaciente, podemos nos ver numa cama cheios de inflamações, por não dizer o que tem que ser dito.

Ou falar de forma intempestiva. Ou ouvir uma declaração de amor como agressão. DR com Plutão e Marte no circuito positivo pede perguntas que nos convidam a transformar dores em bênçãos.

#Astrofenomenologia #ConstelaçãoFamiliar #Manika #Manikastrologia #DiscutirARelação #ContratosdeMudança #AnáliseTransacional #Hades #Plutão #Marte #TrânsitosAstrológicosde2020

217) Uma Salvadora em Busca do Amor

 


Quem ela vai namorar?

A) Um bebê.

B) Um drogadicto que não quer se tratar.

C) Alguém para salvar.

D) Alguém que rejeita a mãe.

E) Aquele que disse que ela é eternamente responsável por quem cativa.

216) As Máscaras de Deus

 


Foto de Rafael Arno

Os sons de suas palavras formaram as brisas que me moveram, as ventanias que me confundiram e as minhas tormentas.

Precisei eu mesma saber dos ventos em jangadas e veleiros. E construir redemoinhos para dar outro destino ao que escutava.

Os sons de suas palavras hoje me guiam. E quando não me servem de norte, são carvões da minha lareira.

Você não é apenas Uma energia sem inteligência, nem a Sabedoria sem movimento.

Você É tudo e mais 5 rostos: a criação, a preservação, a dissolução, a graça e a bem-aventurança.

E mesmo com toda a sua onipotência eu posso duvidar do que me fala e ser totalmente obediente nas outras vezes. Como ser a sua mão bem-aventurada sem nem saber. E a espada da morte, como se eu a tivesse escolhido.

Vi você no rosto da minha mãe e nos ensinamentos do meu pai. Nas minhas ações, no que amei e fiz sofrer. E eu vivi seus vendavais como se fossem meus, porque sou Sua.

Sua dança, guerras e aconchego. Mas nem todo vendaval que fiz se explica assim, não é?

Quem quiser chegar mais perto de quem realmente É precisa aceitar o que fez sem buscar desculpas. Simplesmente dirá: “eu fiz isso”, sem precisar acrescentar mais nada para Si mesmo.

Com o tempo dirá “eu faço” e, então, em algum momento realizará o “eu Sou”.

É assim que a marionete se transforma em seu artista, descobrindo em sua face as máscaras de Deus.

 

#Responsabilidade #Shiva #Yoga #Força #Comunhão #Darshan #PanchaMukhalinga #Culpa #ConstelaçãoFamiliar #Divindade

215) Mulheres Brasileiras

 

Mulheres, intelectuais, esportistas, guerreiras, abolicionistas, escritoras brasileiras, com um viés de vida que fala da metade do Brasil. As verdadeiras influenciadoras desde a raiz até o mundo inteiro:

#Aqualtuna

Sec XVII - princesa e guerreira do Congo, foi trazida para o Recife como escrava. Avó do Zumbi. Com seus talentos políticos e de guerra, consolidou o Estado Negro, a Republica de Palmares.

#MartaDaSilvaVieira

Sec XXI - futebolista feminina. Maior artilheira feminina e masculina do Brasil.


#DandaraDosPalmares

Sec XVII - Esposa do Zumbi dos Palmares, com quem teve 3 filhos. Guerreira pela libertação do povo brasileiro da escravidão. Se atirou de um penhasco quando a capturaram.


#MarielleFranco

Sex XXI - socióloga e política brasileira. Lutava contra o abuso de autoridade nas comunidades. Assassinada em 2018.


#Anastácia

Sec XVIII - No “imaginário popular”, Anastácia era uma mulher linda, curandeira, que se negou a ir para a cama com seu senhor. Sofreu severos castigos, inclusive o uso de uma máscara só tirada às refeições, o que a matou precocemente.


#ConceiçãoEvaristo

Sec XX - Escritora, doutora em letras. Professora da UFMG. Suas obras abordam discriminação racial, de gênero e de classe. Criou o conceito “escrevivência, a escrita de nós”


#LuizaMahin

Sec XIX , uma das articulista do levante de Malês, contra a escravidão na Bahia.


#DjamilaRibeiro

Sec XXI - Filósofa Brasileira. Algumas de suas obras: O que é lugar de fala?. Quem tem medo do feminismo negro?. Pequeno manual antirracista. Lugar de Fala.


#TeresaDeBenguela ou #RainhaTerezaDeQuariterê

Sec XVIII - Líder Quilombola. Capturada e humilhada em cela publica, se suicidou. Sua cabeça ficou exposta em praça pública.

#SoniaGuimarães

Sec XX - primeira mulher negra a ser doutora em física e lecionar no ITA.


#MariaFelipaDeOliveira

Sec XIX - capoeirista, passava informações para o Comando do Movimento de Libertação, quando fugia à noite com uma jangada. Foi líder na Ilha de Itaparica, Bahia.

E muitas mais!


#Acotirene #AdelinaCharuteira #MarianaCrioula #EsperançaGarcia #MariaFirminaDosReis #EvaMariaDeBonsucesso #MariaAranha #NaAgontiné #TiaSimona #ZacimbaGaba #LaudelinaDeCamposBarros #AntonietaDeBarros #CarolinaDeJesus #MarliPereiraSoares ...

214) As Cartas, o Mar e o Almirante Negro

 


As cartas e o mar têm algum parentesco. de ir e vir. De vencer a distância e as eras, como uma máquina do tempo.

Talvez, no Dia da Consciência Negra seja um bom momento para viajar com eles. Na data escolhida em homenagem ao Zumbi dos Palmares, assassinado em 20/11/1695, por nos defender contra a escravidão.

Duzentos e quinze anos depois, e um dia, em 21/11/1910, o marujo Marcelino Rodrigues Menezes recebe 250 chibatadas de uma só vez. Ele não estava em um navio negreiro, estava servindo o Brasil como marujo.

Este episódio sangrento, precedido por maltrato secular, racismo estrutural e precárias condições na Marinha, resultou na Revolta da Chibata, liderada por João Cândido, o  Almirante Negro.

Ao assumir o comando da frota de guerra da Marinha e da rebelião, exige a abolição dos castigos corporais com esta carta:

“Nós, marinheiros, cidadãos brasileiros e republicanos, não podendo mais suportar a escravidão na Marinha Brasileira, a falta de proteção que a Pátria nos dá; e até então não nos chegou; rompemos o negro véu, que nos cobria aos olhos do patriótico e enganado povo.

Achando-se todos os navios em nosso poder, tendo a seu bordo prisioneiros todos os Oficiais, os quais, têm sido os causadores da Marinha Brasileira não ser grandiosa, porque durante 20 anos de República ainda não foi bastante para tratar-nos como cidadãos fardados em defesa da Pátria, mandamos esta honrada mensagem para que V. Excia. faça os Marinheiros Brasileiros possuirmos os direitos sagrados que as leis da República nos facilitam, acabando com a desordem e nos dando outros gozos que venham engrandecer a Marinha Brasileira; bem assim como: retirar os oficiais incompetentes e indignos de servir a Nação Brasileira.

Reformar o Código Imoral e Vergonhoso que nos rege, a fim de que desapareça a chibata, o bolo, e outros castigos semelhantes; aumentar o soldo pelos últimos planos do ilustre Senador José Carlos de Carvalho, educar os marinheiros que não tem competência para vestir a orgulhosa farda, mandar por em vigor a tabela de serviço diário, que a acompanha.

Tem V.Excia. o prazo de 12 horas, para mandar-nos a resposta satisfatória, sob pena de ver a Pátria aniquilada.

Bordo do Encouraçado São Paulo, 22/11/1910.

Nota: Não pode ser interrompida a ida e volta do mensageiro.

Marinheiros."

Com a promessa de terem seus pedidos cumpridos, os heróis que lutavam por nós se entregaram, sendo parte deles aprisionados e mortos sufocados em cativeiro. João Cândido sobreviveu ao infortúnio, mas perdeu seus direitos.

Na década de 1950, o jornalista Edmar Morel entrevista o Almirante Negro e conta a façanha daqueles tempos. Novamente o mar e as cartas. O mar no nome do escritor, e sua escrita sobre o episódio e as injustiças sofridas.

Infelizmente Edmar também sofre perseguições depois do lançamento do seu livro.

E a pergunta que fazemos é a seguinte: o que tem mais força, perpetuar a injustiça ou compensá-la com direitos? O amor de quem serve á pátria, como aqueles marujos, ou o chicote que fere a carne do seu povo?

 

 

João Cândido - década de 1910

225) O Amor, os Príncipes e as Princesas

       É... Tem algumas relações que pensamos que nos botam para baixo. Até nos tocarmos que não foi a pessoa que nos atirou na lona, mas nó...