16 de jul. de 2020

159) A Fé





Era uma vez um porquinho medroso que treinava esgrima com um espadachim.

O mestre dizia: se você tem dentes, mastigue. Se tem unhas, afie e se tem espinhos, agradeça. Na hora da luta, use a inteligência e se for atacado mortalmente morda, arranhe e fure. 

O porquinho preferia morrer a machucar alguém, mesmo que fosse só para se defender. Até que um dia ele viu a vizinha fincar as garras de sua raiva dentro de si mesma, ao invés de colocar um limite na relação abusiva.

Apavorado, ele voltou para caverna e a voz do mestre o perturbou: “você já sabia: medo de morrer não se compara ao medo de machucar alguém.” 

O bichinho tomou coragem, invadiu a casa e lançou seus espinhos na clavícula da vítima! Ela gritou e maldisse: “Como sou azarada! Meu marido me maltrata e o porco-espinho me ataca ao invés de furar ele! Eu nasci para sofrer!”


Ela pegou uma vassoura e foi atrás do espinhudo que corria na direção do agressor. 

- Você não estava com bursite, mulher? 

- Estou!

- Então,  como segura esta vassoura como se fosse uma espada? 

A dor no ombro tinha sumido mesmo e um tremor arrepiou os seus cabelos! Se ela não atacasse o marido, mataria o bicho ou voltaria a ficar com o braço paralisado.

Durante a madrugada agradecia a falta de movimentos. No dia seguinte, endireitou a coluna, pegou a sua bolsa e foi parar num terapeuta, que, entendendo a radicalidade da sua questão, lhe explicou os serviços da delegacia da mulher dizendo: “quem não quer brigar busca a ajuda certa, seja terapia, advogado e até uma delegacia. Os profissionais não vão querer brigar no seu lugar e sim chegar numa solução.” Ela retrucou: “mas eu não posso fazer isso!” E o terapeuta acrescentou: “É um ato de amor não deixar quem a gente ama nos machucar. É um alívio para esta pessoa também.”

Depois de um tempo, confiando na razão e guiança dos seus sentimentos, o maior ato de fé que há, iniciou o processo de separação do companheiro. Não por falta de amor, mas por saber que ali não tinha mais solução. 

Hoje ela faz aula de esgrima com o professor do porco-espinho. A sua 2a lição foi deixar as unhas crescerem para fora. A primeira foi aprender o nome e significado do seu novo mestre: Fé. 
______________
Quem me ensinou sobre esta Fé que confia nos próprios sentimentos e intuição foi o meu psicanalista Eugenio Davidovich

#Fé #RelaçõesAbusivas #Raiva #Sentimentos #EugenioDavidovich


Nenhum comentário:

Postar um comentário

221) A Medusa com a Cabeça do Perseu

  Medusa com a Cabeça de Perseu - Luciano Garbati No século VI a.C. Ésquilo escreveu a trilogia Oréstia, uma reflexão sobre a justa justiça ...