15 de jun. de 2020

150) Amor às Segunda Vista II




Enamorar-se significa ser amparado pelos braços do amor. É somar-se, como diz o prefixo “em”, que vira “em” no enamorado, que significa chegar mais perto, ir para dentro (in), virar o próprio amor.  “En-amor-ar – se” é se colocar na frequência dos que amam. 

O Dia dos Namorados, ou o dia que se festeja o amor romântico entre dois adultos (ou adolescentes) aqui no Brasil, está no mês que homenageia Juno (Hera), deusa do casamento, e é no dia antes de Santo Antônio, padroeiro dos matrimônios. Namorar, então, é o amor à primeira vista tentando chegar ao amor à segunda vista. 

O Bert Hellinger, criador da Constelação Familiar, diz que o Amor à Segunda Vista acontece quando acolhemos e exercemos outras dimensões numa relação de amor e acontece mais ou menos assim: 

1.     O Eu e o Outro se amam e se veem. Durante os primeiros seis meses do enamoramento somos tomados pela paixão. Com o passar do tempo, outras dimensões começam a surgir: o nosso passado, desejos, trabalho, necessidades. Chamamos estas dimensões de “nossas coisas”. 

2.     Começa uma nova fase na relação com 4 dimensões: O Eu, suas coisas, o outro e as coisas dele. A partir daí o Eu olha ele mesmo e as coisas dele como também olha o outro e as coisas dele. O outro faz a mesma coisa. Se não aceito minha família ou meus desejos, ou como é o parceiro e sua família, por exemplo, começam os problemas. 

3.     Então vemos se temos planos juntos que se compatibilizam: Queremos nos casar? Ter filhos? Morar onde? Quais valores vamos compartilhar? Será que nossos olhares se cruzam no futuro?...

4.     Chegamos ao Amor à Segunda Vista: eu, minhas coisas, o outro e as coisas dele. Quatro dimensões que se olham e se aceitam e que cruzam seus olhares no futuro, a 5ª  dimensão do relacionamento. 


  Até 50 anos atrás a mulher era educada a esquecer suas próprias coisas e olhar para o homem, as coisas dele e o futuro dele. Por isso, muitas de nós, hoje em dia, evitam a todo custo, inconscientemente, o casamento. Queremos casar, mas não encontramos um companheiro compatível, porque este desencontro nos garante não nos perdemos de nós mesmas.

Mas, como ensina o dia dos Namorados no Brasil, no mês e dia cheio de arquétipos que derramam bençãos para um namoro que está acontecendo ou que desejamos que aconteça, se estamos vivos, é porque o encontro de amor por milênios encontrou um caminho além dos medos. Felicidades!  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

158 - Como Funciona o Triângulo Dramático - Parte 2

Como sair do Triângulo Dramático? Mônica Clemente (Manika) No texto anterior “Como Funciona o Triângulo Dramático - parte 1&q...