27 de mai. de 2020

146) Os 12 Arquétipos na Jornada do Herói




Carol Pearson escreveu “O DESPERTAR DO HERÓI INTERIOR”, um bestseller da década de 1990. Atualmente, a obra traduzida em português, está esgotada.  A autora se baseou nos conceitos de arquétipo do Jung e na Jornada do Herói de Joseph Campbell para elaborar as 12 fases que enfrentamos, ou ficamos fixados. E fez isso associando cada etapa a um arquétipo com sua função, luz e sua sombra.

Este trabalho tem sido divulgado, erroneamente, na internet, como os 12 arquétipos de Jung, sem dar o devido crédito à autora do estudo. O texto que escrevi abaixo é sobre a sombra dos 12 desafios do herói e é baseado na obra de Pearson.

O herói em cada fase da jornada é convidado a dar um passo no desconhecido de si mesmo para desenvolver suas potencialidades adormecidas.  Em cada um dos passos há um teste do tipo “A Cuca vai te pegar!” Como o dragão de cabelo vermelho, morador dos porões do medo, desafia o herói.

“Tá tudo bem!” Se engana o INOCENTE diante do fim do casamento. Sem usar seu discernimento, quando o cônjuge avisou o problema mil vezes. O Inocente pode aceitar o convite da jornada ou dar piruetas no ar.

“Eu não merecia isso!” Diz a sombra do ÓRFÃO, a vítima do mundo, que se esquiva da vida e do resultado dos seus atos. 

 “Te salvarei!” Voa a Cuca GUERREIRA pelo Céu da soberba. São estudantes com ares de doutores, filhos salvando os pais, ao invés de lutarem e escolherem as próprias batalhas.

“Deixa que eu faço!” Sorri o sobrecarregado CUIDADOR, com medo de ser egoísta, mesmo que não leve adiante o chamado de sua alma.

“Ninguém me controla! Vou ao retiro sim!” diz a sombra do BUSCADOR, no milésimo curso em busca de iluminação, mas incapaz de ajudar em casa. Liberdade lava louça, ganha dinheiro e faz comida, sabia?

“Não vivo sem ele/a! Se joga o AMANTE, como se o parceiro/a fosse a mãe. Como se não soubesse da bem-aventurança que o busca em cada beijo e em cada um que ele leva para frente. 

“Regras são feitas pra quebrar!” arrota o ICONOCLASTA, que confunde desapego com rebeldia, disciplina com regras, desperdiçando os novos poderes. 

“Eu não tenho tempo!” Se vangloria o CRIADOR, que perde as relações para o trabalho que lhe dá fama.  Aqui Ulisses driblou as sereias e continuou sua jornada.

“Eu que mando!”, treme de medo o GOVERNANTE, ao invés de assumir as responsabilidades incluindo sua vulnerabilidade.

“Eu dou um jeitinho!” Alicia a sombra do MÁGICO, ao invés de reinventar o mundo com os poderes que ganhou na jornada. 

“Eu não sou bom o suficiente!” Grita a Cuca do SÁBIO, nas riquezas ganhas com o esforço da sua inteligência. O Sábio está pronto, ao contrário do guerreiro que ainda tem que se esforçar muito. 

“Eu faço o que bem entender!”, sorri o TOLO comendo o que o mata, ao invés de se libertar com o que o faz feliz. Aqui o herói “voltou” ao 1º estágio, mudado e mais completo, mas pronto para um novo convite. Ele pode fazer o que bem entender desafiando a vida. Ou fazer o que bem entender de acordo com o mundo. Nesta hora até a Cuca fluíra junto. 

#CarolPearson
#AwakeningTheHeroesWithin
#JosephCampbell



Nenhum comentário:

Postar um comentário

158 - Como Funciona o Triângulo Dramático - Parte 2

Como sair do Triângulo Dramático? Mônica Clemente (Manika) No texto anterior “Como Funciona o Triângulo Dramático - parte 1&q...