18 de mai. de 2020

144) A Voz Interior




A pergunta “qual a coisa certa a fazer?” (Blome, 1999) busca respostas em dogmas ou doutrinas, ao invés da guiança da voz interior. Leva à “boa consciência”, que é seguir os mandatos do nosso clã, mesmo que custe quem somos. Faz pedir mil conselhos sem acatarmos nenhum.

Já a pergunta “o que é melhor para mim e como chego a isso?” (Blome, 1999) nos põe em sintonia com a própria sabedoria. Uhtred Ragnarson, personagem principal do “O Último Reino” – série da Netflix baseada nas Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell -, é um guerreiro do século IX, leal e destemido, ora servindo ao Rei Alfredo de Wessex, ora em busca do seu destino roubado.

De linhagem saxã e cristã, ainda criança perde sua Fortaleza, no Reino da Nortúmbria, o irmão e o pai para os Vikings, com quem cresce e aprende os costumes pagãos. Sua forte liderança e estratégias de guerra, conquistam reinos para um monarca de corpo frágil e mente poderosa. São a Luz e a Sombra um do outro: o rei sábio e o escravo guerreiro, o general e o visionário, as repressões cristãs e o apetite Dinamarquês.

Uhtred é forjado entre estes conflitos lutando pela unificação da futura Inglaterra, contra as invasões, contra si mesmo e seu desejo de reconquistar o que lhe foi tirado. E, mesmo nas mãos de ferro do Rei ou se contorcendo entre o amor pelo seu clã adotivo e a busca da sua origem, não perde a conexão consigo.  

Cada uma de suas mulheres o desafiou também tentando mudá-lo, ou aceitando seu caminho, ou fazendo-o se escutar. Ele encarna a difícil tarefa humana de continuar escutando a voz interior no meio dos desafios.

Quem não confia ou perde a conexão com a voz interior, no entanto, fica submisso e autoritário. O submisso se perde em orientações externas porque perdeu seu discernimento, entregando sua autoridade a alguém.  E compensa esta insegurança afirmando-se brutalmente. São tentativas infrutíferas de voltar a se escutar do lado de fora, como, por exemplo, a negação da verdade em nome do achismo, do óbvio por conta do ódio de ter se perdido.

Nestas horas nos voltamos ao azul violeta do Cerato, à flor nativa do Tibete, extraviada para a Inglaterra. Apesar dos reveses, não duvidou de si mesma enquanto se adaptava à paisagem estrangeira.

____________

Cerato é uma flor tibetana que, atualmente, é uma das Essências do Floral de Bach, que ajuda a nos reconectar com a voz Interior. 

As perguntas iniciais do texto são de autoria do Götz Blome em seu livro Advanced Bach Flower Therapy - A Scientific Approach To Diagnosis anda Treatment. United State,  Healing Arts Press, 1999.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

144) A Voz Interior

A pergunta “qual a coisa certa a fazer?” (Blome, 1999) busca respostas em dogmas ou doutrinas, ao invés da guiança da voz interior. ...