16 de abr. de 2020

129) A Filha Devorada Não Aceita Prêmios



Depois de 30 anos de muito trabalho, uma pessoa recebeu o reconhecimento que merecia, mas ao invés de ir pegar o seu prêmio, enviou um substituto. O público, desconhecendo o rosto do verdadeiro vencedor, aplaudiu de pé o suplente. Sua mãe, que estava na plateia, subiu ao palco para ser aclamada também.

A verdadeira homenageada contou isso para a terapeuta, que quis saber se o regra-três se dava bem com a mãe dele. A premiada oculta respondeu: “Parece que sim! ”  E a terapeuta continua: ”E você com a sua mãe? ”.  “Foi muito difícil. Minha mãe deixou aleijões em minha alma. Mas quando vi a mãe do meu substituto ser ovacionada, me arrependi de não ter ido pegar o meu prêmio. Era a minha mãe que tinha que ter sido vista e aplaudida. ”

A terapeuta perguntou: E você, não? Que bom que foi só um sonho, então. ” A mulher disse: “Minha mãe merecia o prêmio mesmo! ”

A terapeuta a interrompeu: “Nem o sonho nem você falam disso. Ele fala que o seu amor simbiótico por sua mãe se revelaria no prêmio que você não foi pegar. Mesmo que na vida real a sua mãe te devore, o sonho te disse que você prefere isso do que ser vista separada dela indo à sua premiação. ”

A moça não concordou: “Mas minha mãe me deu pouco, por que eu ficaria num laço simbiótico com ela? ” A terapeuta respirou: “Até dando “pouco”, mãe dá mais do que o suficiente. E a tua te deu demais, a ponto de te sufocar no que nem era necessário. ”

A mulher não conseguia aceitar! A terapeuta continuou: “Então mantém o impostor que mora dentro de você pegando o seu prêmio. Ele pode mostrar a mãe dele para o mundo sem se confundir com ela. E você fica no anonimato, sem o teu próprio reconhecimento pelos teus feitos, para que o laço de vocês fique protegido. Ou até melhor, né? Para continuar acreditando que foi o péssimo trabalho que ela fez a causa do que você chama de fracasso. Assim você pode ficar mais um pouco dando algo para ela (que ela nem precisa), enquanto a culpa por isso. ”

A mulher assustada perguntou: “Como eu saio disso? ” A terapeuta: “Recebe o teu prêmio. A vida que ela te deu. Então faça algo teu com satisfação. Um poema, uma janta sozinha, uma gaveta arrumada, sem se menosprezar, sem se lastimar por tudo o que aconteceu. ”

 #Mãe #Sucesso #LaçosSimbióticos #MãeDevoradora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

180) Os Estágios da Anima e do Animus

  Reconhecemos um navio porque ele já estava na gente como modelo. Da mesma maneira, um homem enxerga uma mulher, e vice-versa, com modelo...