10 de jul. de 2019

96) Afrodite, a riqueza oculta





No meu caminho para o trabalho ninguém vê, mas eu giro no ar mais do que o Baryshnikov trapaceando o Saci. Bato a bota no paralelepípedo no show de rock onde eu sou a star. Acaricio a echarpe como uma amante depois do êxtase enquanto encaro a alma do moço de barba gigante. Eu não gosto de barba, mas com fone de ouvido tocando Tiny Tears eu danço com o que eu costumo me fechar. Me maquio fazendo a Isabella Rossellini temer perder o contrato da Lancôme lá no século XX. Sim, eu viajo no tempo, no espaço e em cometas. Todas as letras dos meus sonhos românticos são em dupla. Ninguém fica de fora quando eu escuto a sua música. Eu invejo, veja a minha pobreza, a menina dormindo no frio no meio da calçada, de barriga para cima e um leve sorriso com Deus e a alvorada de leito. Ela não tem a insônia da minha cama protegida e quentinha? Ela escolheu ou pagou o mais novo regime da moda para ficar mais magra? Os deuses me desprezariam se eu existisse para eles? Afrodite não é seduzir é acessar o prazer que está em mim e em você como uma riqueza que ninguém vê.

#Afrodite #Prazer #RiquezasQueAGenteNãoVê

Nenhum comentário:

Postar um comentário

103) O Pai e o Mundo

O PAI E O MUNDO O Pai nos prepara para o Mundo, mas qual mundo? O mundo terreno, do aqui e agora. Das possibilidades reais. Com o ...