16 de mai de 2018

70) Urano entrou em Touro



Urano, o Céu, cobria Gaia num abraço fértil de vida e anseio de sentido.


Introdução

Urano, o Céu, que corresponde ao Varuna, Deus da Noite e do Dia na mitologia Védica, entrou no signo de Touro dia 15 de maio. Vai ficar ali 7 anos depois de entrar definitivamente neste signo em 2019. Estes sete anos são aqueles mesmos septênios que Rudolf Steiner sistematizou como ciclos de vida onde aprendemos e desenvolvemos potencialidades. Quando Urano se aloja em um signo ou casa astrológica ele faz a gente tomar consciência daquelas potencialidades da casa e signo para, mais tarde, serem mais orgânicas e conscientes em nossa vida. 

(Ao final deste texto, estão as descrições de Urano em Touro em cada casa).

 O que Urano mobiliza em nós desde a sua mitologia?

Urano (o Céu, a Noite e o Dia) nasceu de Gaia e casou com ela, como seu neto Zeus casou com a sua mãe-irmã Hera. Toda a Noite, a Noite cobria Gaia e, por isso, nasciam seus filhos, que a Noite odiava. Gaia então insuflou seus rebentos a matá-lo. Saturno, o mais novo, pegou a foice e cortou seu pai em vários pedaços. Deles nasceram os Gigantes, as Eríneas, as Melíades e Afrodite.

Este mito significa, de forma ampla, a fertilidade da vida pulsando por todo o planeta, mas que não nasce com um mapa de sentido nem com a consciência das conexões que nos unem. Por exemplo, as conexões na natureza se organizam de formas que não captamos em sua totalidade, embora atuem em nosso corpo. 

Gaia, a Terra, não é amparada pelo pai dos seus filhos. É como se perguntássemos, onde está a centelha da criação por trás de tudo o que existe? 

Na condição humana, o mito de Urano instiga tomar consciência de que para conseguir o pai precisamos ir em busca dele a medida que amadurecemos, enquanto a mãe é o nosso corpo e o primeiro meio-ambiente (Gaia). Nos pais instiga tomar consciência do ato da criação de seus filhos, assim como ter responsabilidade sobre eles. E se expandimos a tomada de consciência de Urano para as culturas e tradições humanas, temos que nos perguntar quais são os povos legitimados em toda a sua diversidade e direitos e quais são os oprimidas que ainda precisam ser incluídos?

Este mito, então, tem a ver com a fertilidade masculina que não quer se comprometer com o que cria,  com a paternidade não reconhecida não só pelo pai, mas porque a mãe toma a criança só para si, ou a mãe foi tomada por um homem desconhecido a força, e mesmo assim gerou a criança e a criou (ou não). 

Assim, o pai, o homem, regido por Urano de forma negativa, se afasta da esposa e de seus filhos, como se fossem virtuais, como se ele mesmo não fizesse parte ou fosse responsável pelo o que cria. Será mesmo que sou o pai? Quando a minha participação na criação dos filhos terá um reconhecimento (meu e da mãe)? Quando foi que eu me esqueci de tornar esta participação real nos afetos e responsabilidades que nos unem? 

E, pessoalmente, o mito de Urano é aquele sentimento de raiva pela falta de sentido - daquilo que falta. Neste momento,  desamparados, buscamos um Deus, uma filosofia, ou qualquer “coisa” capaz de dar sentido à existência. Mas o que falta? 

Nas constelações, geralmente, o pai.

A raiva deste desamparo pode nos levar à autodestruição ou à novas compreensões do que precisamos incluir, como os filhos que nascem dos pedaços de Urano. O pai não se destrói: sem ele não há mãe e sem ela não há pai.

Tem a ver, então, com a capacidade de por limites e tirar limites em relação às responsabilidades de ser pai, da paternidade e até onde é a esfera do pai e da mãe. O Céu é o limite, mas o Céu não tem limites na verdade. O pai e a paternidade são questões que extrapolam o ato do nascimento do corpo da mãe. É uma esfera fora da genitora que precisa ser conquistada também pelo homem no ato de ser pai e pelos filhos/as em direção ao pai.




Como atua Urano na astrologia?

Na astrologia, Urano simboliza a tomada de consciência exatamente naquele lugar onde antes nos sentíamos desamparados. Por exemplo, uma pessoa nasce com Urano na casa 4. Desde pequena não se sente parte daquela família ou daquela terra. Mais velha toma consciência de que, embora tenha nascido no Brasil,  toda a sua família de pai e mãe são imigrantes Italianos que há gerações não voltaram para o país natal. Ao pisar na Itália pela primeira vez sente, afinal, pertencendo ao planeta, à vida, à sua família. Encontrou de fato a sua terra, a sua cultura e tradição que antes era apenas um eco ancestral. 

Ou, por exemplo, a pessoa é africana e seus ancestrais foram escravizados e mandados para servir à força outros países, perdendo toda e qualquer possibilidade de rastrear seus ancestrais. Embora eles tenham construído a riqueza de várias nações, nunca usufruíram do que fizeram. Para os italianos, tirar a cidadania é vastamente comemorado, para os africanos buscar a sua história e direitos é considerado mimimi. O Urano é o mesmo nos dois casos, mas uma nação é reconhecida e a outra ainda precisa da foice de Gaia para que seja legitimada  e honrada a sua origem.


Por outro lado existe o que Hellinger, criador das Constelações familiares, chamou de Quinto Círculo do Amor: situações que escapam nosso controle pessoal. Às vezes, o futuro aponta situações coletivas difíceis, que não temos gerência. A escravidão,  assim como o roubo das Américas dos povos Indígenas, não podia ser diferente do que foi. Estes assassinatos e opressões em massa não são em vão quando se toma consciência - Urano - de que todos nós nos sentimos desamparados enquanto não nos organizarmos para incluir (não como pais, mas como irmãos) cada vez mais, criando vínculos positivos, os diferentes povos.


Cacique Seatle


Urano em Touro 

Urano entrou em Touro, mas volta para Áries até se estabelecer de vez em Touro em 6 de março de 2019. Em Áries ele nos ajudou a lutar por mais liberdade, assim como trouxe o fascismo de volta para a gente colocar este nosso lado no coração. Em Touro é a natureza, o corpo, os valores e a riqueza que vão precisar da nossa atenção.

Será que vamos colocar limites no abuso que fazemos com Gaia ou  vamos desmontar as leis que a protegem? 

Em 1855, Urano estava em Touro, e o Cacique Seatle  escreveu uma carta   para o chefe branco de Washington. Em um trecho dela ele diz assim:


"Como pode-se comprar ou vender o céu, o calor da terra? Tal ideia é estranha. Nós não somos donos da pureza do ar ou do brilho da água. Como pode então comprá-los de nós? Decidimos apenas sobre as coisas do nosso tempo. Toda esta terra é sagrada para o meu povo. Cada folha reluzente, todas as praias de areia, cada véu de neblina nas florestas escuras, cada clareira e todos os insetos a zumbir são sagrados nas tradições e na crença do meu povo."


E o corpo, ele é de quem? Meu, seu, da medicina, da religião, da filosofia, da sociologia, do trabalho, das empresas ou das políticas? O corpo, convergência entre o pessoal e o coletivo, o nosso corpo único no meio de muitas dimensões humanas que atuam sobre ele, continuará a ser disputado! 

Sim, a nossa sexualidade, a nossa identidade, saúde, gênero, forma, estética estarão nos mais disputados debates. 

A forma como lidamos com as riquezas do planeta, as diferentes culturas e as infinitas formas de nos manifestarmos precisarão da foice da deusa para serem legitimadas? 

E pessoalmente, como Urano atuará? 
(É muito mais complexo do que isso, mas já dá alguma dica):

Se o teu Touro está no ascendente, (na casa 1): o corpo, a voz e os teus limites energéticos pedem atenção. Tá na hora de fazer aquele penteado proibido ou usar aquela roupa que sempre teve a ver com você. Mas mais do que isso, quais os valores que você aprendeu com sua família, que não servem mais para você dar o primeiro passo? Ou qual o valor que teus pais te ensinaram que você ainda não aprendeu e é bom para você?

Se o teu Touro está na casa 2 (ascendente em Áries): como tens usados os teus recursos financeiros? Sabe quais são os teus valores? Tá pronto para ganhar mais e não se desfazer do que ganha? Sabe que mantemos o que ganhamos quando lutamos muito para ganhar o que temos? Você, pai, dá apoio financeiro e afetivo para criar os seus filhos?

Na casa 3 (ascendente em Peixes): teus irmãos te ajudam a conhecer mais teus pai e mãe, então não brigue com eles. São portais para a cura. Sua voz e talentos podem ser desenvolvidos. E é bom cuidar da tiroide chorando a tristeza que engoliu até hoje. 

Na casa 4 (ascendente em Aquário): mude-se, se quiser, mas para um lugar que você tem raízes ou faça sentido. E, teu pai e a família dele pedem um lugar em teu coração. Se tem que mudar tua relação com teu pai, faça isso, mas sem excluir ele do teu coração. 

Na casa 5 (ascendente em Capricórnio): se quiser ter filhos, eles virão. Se não quiser, poderão aparecer. A vida não pede licença quando tem que acontecer. O maior empreendimento é servir à vida. A criatividade, se você quer seguir o caminho das artes vai começar a te trazer dinheiro também. Sua estrela - fazer o teu destino - deve ser nutrida ao mesmo tempo que respeita algumas normas, mas se desfaça de normas que são contra a sua estrela.

Na casa 6 (ascendente em Sagitário): coma bem, devagar e sentado. Respire, faça yoga e vá caminhar na natureza. Mude de trabalho se é o que quer, mas sem jogar fora o que construiu até agora. Construa a ponte para o novo, se ele não for bom, você pode voltar um pouco e arranjar outro novo plano. 

Na casa 7 (ascendente em Escorpião): negocie com o seu parceiro de amor ou de trabalho novas formas de estarem juntos. Quanto mais espaço para crescerem individualmente, mais espaço para a relação. Se tem problema de coração, cuide dele, do amor e de quem você ama. O melhor presente que um filho/a dá para seu pai é ser filho/a dele. O filho também quer ter um pai, embora como pais não precisemos atender às expectativas dos filhos, mas dar-lhes apoio.

Na casa 8 (ascendente em Libra): O sexo é mais do que dois corpos suados felizes em êxtase. O sexo são dois corpos suados felizes em êxtase com você nele, de carne e osso e não no mundo virtual. E vínculos são importantes. Se um vínculo é ruim e pode ficar bom, busque ajuda para isso. As heranças não são punhais para ferir seus irmãos e ninguém de fato merece a herança, porque não foi a pessoa que se esforçou para ter aquilo que agora recebe.  Então, por que brigar? Limites demais adoece, de menos enfraquece.

Na casa 9 (ascendente em Virgem): Estudos exotéricos ou diferentes do que fez até hoje. Viaje com uma mala vermelha com teu nome por toda a bagagem e tire xerox de todos os documentos, mas viaje, mental ou fisicamente. Anote tudo, fotografe e estude sânscrito ou o que quiser, mesmo que alguém ache muito estranho. Daqui sete anos vai te ajudar muito em sua vida pessoal e profissional. E existem mestres iluminados sim, como falcatruas. Por exemplo, quando a gente se mete a dar opinião da vida dos outros sem ser chamado...

Na casa 10 (ascendente em Leão):  você vai mudar a sua profissão. Se não tem coragem, o Urano vai te ajudar a ter. Sua mãe é respeitada por você? Não? Então trate de respeitá-la e honrá-la. Se ela é difícil demais, busque ajuda para você aprender a lidar com sua mãe. Constelação Familiar e psicanálise sempre ajudam. Florais também, mas é na relação que a cura acontece.

Na casa 11 (ascendente em Câncer): Amigos estrangeiros, ETs, novas ideias, visão de futuro, insigths, anjos, todos bem-vindos! E mais dinheiro para quem sabe sustentar riqueza. Pode concretizar um sonho, se souber respeitar tudo o que construiu até agora. Visão de futuro com pé na realidade.


Na casa 12 (ascendente em Gêmeos): Sua intuição vai aumentar tremendamente. E uma grande transformação interior vai acontecer. Você vai colocar em teu coração os teus maiores medos, preconceitos e poderes, ampliando tua forma de ver o mundo. Alguns ciclos têm que terminar para outro acontecer.

1 de mai de 2018

69) 1 de maio: Lírios, amor e inclusão


 A Primavera -  Botticelli 1482


            

Quais os enredos que unem os lírios, as mulheres, o dia do trabalhador e a justiça social?

Há muitos séculos, a deusa Flora[i], protetora da natureza, era homenageada pelos romanos no dia primeiro de maio. Na mesma data, nas tradições celtas, os Lírios do Campo – amuletos contra maus espíritos - eram oferecidos para os deuses, como contagem regressiva para a chegada do verão. No século XVI, o rei Charles IX  recebeu esta oferenda, mandando enviar os lírios – sorte - para todas as moças solteiras.  

Séculos depois, esta tradição passou a ser uma declaração de amor na França sendo comemorada junto ao dia do trabalhador. Isto porque em final do século XIX, os movimentos sociais norte-americanos começam as lutas pela redução das jornadas exaustivas de trabalho no mesmo dia 1 de maio e a França se une ao movimento.

O Lírio também passa a ser a flor da resistência no final de segunda guerra mundial.

O Lilium longiflorum, um tipo de Lírio usado pelo sistema floral de minas, ajuda as mulheres a integrarem a vida em família, os laços de amor, o trabalho e sua criatividade. É para quando ficamos esgarçadas entre as tarefas de casa, nosso trabalho e amor de um homem ou mulher.  Esta tarefa, bem exigente nos dias atuais, ainda reflete a ruptura da força e do corpo do trabalhador do resultado de sua labuta, enchendo os bolsos de meia dúzia. E as mulheres só recentemente começam a estar inseridas do mundo produtivo remunerado, embora elas e os escravos tenham sido os grandes trabalhadores não pagos no início do capitalismo.

Há outros tipos de Lírios nos sistemas florais do mundo, todos com seus ensinamentos femininos, tanto para mulheres como para homens. 

Para a Igreja Católica o Lírio representa a Virgem Maria. Para os chineses, representa o amor eterno, o verão, a pureza e a fartura.

Em “Olhai os Lírios do Campo”, romance de Érico Veríssimo baseado no Sermão da Montanha, o protagonista Eugenio Fontes vive o conflito entre a segurança e a felicidade, como se elas fossem antagônicas.

E hoje, há três horas, na França, Lírios e Fogo se misturam às passeatas e ao feriado do amor e do trabalhador para mostrar mais uma vez que este conflito milenar se radicaliza enquanto não incluirmos a todos na segurança e na felicidade. A deusa Concórdia, da fartura, não fala de bens produzidos apenas, mas da distribuição dela.

Então, se por obra Divina os Lírios se vestem melhor do que Salomão,  “Deus não vê como o homem vê. O homem vê a aparência, mas Deus sonda o coração" (I Samuel 16.7).

Que hoje possamos oferecer Lírios, colírios, ampliadores da nossa visão.





[i] "A transformação de Clóris em Flora registrada na belíssima tela "La Primavera" de Botticelli não era apenas uma mera virtualidade linguística, nem uma mera metáfora da transposição da mitologia grega para a latina da mesma deidade porque a etimologia confirma a intuição deste artista. Clóris é não apenas funcionalmente a mesma deidade que Flora como, sobretudo, se pode fazer fé numa origem comum de ambas. Concórdia - a deusa da fartura, porque sem esta não há concórdia social!". ArthurJotaef 


78) Depressão

Quando eu li pela primeira vez que a depressão, segundo as observações do Bert Hellinger nas Constelações Familiares, era, geralment...