18 de ago de 2014

43) Psiquê não desperta Eros enviando-o ao psicanalista, mas fazendo ela mesma a sua jornada interior.



Eros by Rebecca Léveillé-Guay


Quando Psiquê confronta o seu amante misterioso Eros, querendo saber quem ele é de fato, o estágio de participação mística (identificação inconsciente) é rompido, lançando-os separadamente para a jornada de autoconhecimento. Ele, a princípio, desaparece e ela, sem manual de instrução, inicia a sua transformação pelo caminho do amor[i].

Depois de algum tempo envolvidos no êxtase do encontro, e, mesmo evitando as sacrificantes e exaustivas “DRs” (discussões sobre a relação) a todo instante, chega um momento em que as primeiras rusgas do desapontamento com o verdadeiro outro se multiplicam. Já não há mais possibilidades de projetar desejos suspeitos e sombras cheias de dentes no/a parceiro/a, querendo que ele/a mude para se adaptar aos nossos caprichos e medos, aos nossos roteiros.


A fase das borboletas no estômago começa a dar espaço para as novas intensidades, e, insistir para o/a amante procurar uma terapia como se estivesse nele/a o interruptor do que se apaga em si mesmo, tampouco reascende o amor.




Ao ferir Eros, por exigir mais honestidade, Psiquê trai o acordo original do início do namoro de se perpetuarem no mundo da fantasia ilibada do amor ideal, onde “eu sou o que você quer que eu seja” e vice-versa. Ou “eu quero que você seja a mamãe ou o papai que eu não tive.”

Nesta fase da fantasia cedendo lugar à realidade e à alteridade, onde outro é realmente o outro, há também aquelas vozes interiores ávidas por repetirem os roteiros familiares na relação. Segundo Hellinger (2007), nada deixa a consciência mais em paz do que seguir estes scripts, mesmo que sejam dolorosos. Assim, é garantido o próprio pertencimento ao grupo e a sensação de inocência.

Estas vozes também estão sedentas por projetarem no/a amante o "monstro do parceiro/a errado/a", como se existisse o certo e não um movimento de encontro entre duas almas transformando-as para aprender o que é o amor: “Cuidado, ele deve ter asas nas costas escondendo um tremendo de um arco-e-flecha! Vai te ferir”  ou  “São todas bacantes. Deve estar interessada em teu Pégaso XV a.C.”

Ou “Mulheres são de Vênus” Jura, você realmente acreditou nisso? E “homens são de marte”.

No mito Eros e Psiquê, esta maledicência é personificada pelos lábios das irmãs da protagonista que suspeitavam do caráter e boas intenções do esposo oculto (Neumann, 1995). Encontramos a mesma ladainha entre “azamigas e ozamigos” que nos dizem: "mas ele/a é isso ou aquilo e óbvio que não está interessado em você! Não te respondeu na mesma hora". 

Estas vozes estão também nos livros de auto-ajuda com raiva das profundezas (existem muitos livros de auto-ajuda bons e outros, não!), nas falas dos pais ou mães, avós e conselheiros frustrados, que seguem à risca a sabedoria do “disco arranhado” -  racionalizações que se repetem para não encararem a verdade[ii].

Com as suas recomendações petrificadas em torno das próprias aventuras interiores não realizadas por medo do amor e seus riscos, desejam o mesmo destino de solidão a todos. Querem companhia em suas noites frias.

Assim, no mito, ferindo Eros com suas desconfianças, Psiquê se fere. Ela não queria mais dormir com Gilda (Personagem fascinante) e acordar com Rita (a simples mortal Hayworth). Mas Eros ainda queria. Inclusive, diante desta nova fase do amor, quando as ilusões começam a cair, ele se pirulitou sem ao menos enviar um emoticons pelo whatsApp.

Sabe aquele tipo de ex-amante que envia um presente pelo correio, um ano depois de sumir, como se não tivesse acontecido nada, e diz:

- Lembrei de você!
- Mas, você quer falar alguma coisa?
- Não, foi um ato de carinho.

E some de novo, te bloqueando no facebook, como se você estivesse muito interessada no perfil dele. E estava, mas fazia promessa, todos os dias, de não entrar mais lá.

O mais belo de todos os deuses gregos, que não era um monstro como Pisquê descobriu boquiaberta no dia em que o confrontou, não só sumiu como se escondeu da própria mamãe que estava furiosa com ele.

É que antes dos dois pombinhos se conhecerem, Afrodite, a mãe do desaparecido, pediu aos mortais para sacrificarem Psiquê, aquela insossa e acima de tudo mortal que apoia os direitos humanos, por ser considerada tão ou mais bela do que a deusa. Não suportando a concorrência, enviou o seu próprio filho, Eros, para executar a pena de fazê-la viver as paixões mais inferiores num casamento terrível. E, de preferência, se ele pudesse dar ré no caminhão que a atropelaria por sofrimentos em relacionamentos umas 10 vezes, melhor.

Eros não recusou o pedido da deslumbrante mãe, assim como muitas pessoas não o fazem. Quantos Eros (homens e mulheres) sacrificaram a possibilidade de vivenciar um amor mais afinado com a sua interioridade e acabaram se casando com a mulher (homens) dos sonhos do seu grupo de iguais?

Quantas Psiquês (mulheres e homens) preferem viver tons de cinzas e se enganar que isso é amor? Quantos de nós ainda escolhemos parceiros/as de acordo com as normas da coletividade e não da própria alma? Quantos de nós ainda preferimos os prazeres ao amor, separando um do outro como se fossem inimigos?

Como é que Eros transforma o domínio de Afrodite, o princípio coletivo do prazer e do êxtase (muito válido), para desenvolver em si mesmo a sua psique, que se transforma pelo amor? Como Psiquê se desvencilha das artimanhas de Afrodite e aceita se transformar por causa do amor?

Estes são os desafios propostos pelo mito. Voltando a ele, então: quando o deus olhou pela primeira vez para Psiquê prestes a ser sacrificada para a deusa dos prazeres indiferenciados da coletividade (Afrodite), se apaixonou perdidamente e resolveu mudar os planos. Desafiando a própria inocência da consciência que não quer bancar a solidão da individuação, se apresentou a ela como o seu verdadeiro amado! Neste momento, pede para Zéfiro, o vento do Oeste, salvá-la e levá-la a um castelo divino, no sopé de uma montanha, onde todos os seus desejos seriam atendidos. 


Salva, enfeitiçada e aliviada, Psiquê aceitou todos os termos de Eros para aquele encontro. Teriam prazer, gozo, alegrias e paixão e uma condição, a de que eles se amassem durante a madrugada, quando nunca poderiam se enxergar.




                         Deep Sea Diver Kiss Postcard by FalstaffTrading on Etsy


Ela não só aceitou todas as condições como se entregou ao deus sem nenhuma censura no pensamento. Graças a esta coragem de "cair do desfiladeiro até a morada de Eros" (fallen in love), foi iniciada no amor.  Ou, pode-se dizer, o beijo (inteireza) e não a tagarelice mental dos prós e contras, é a linguagem do amor. 

O fascínio do encontro, no entanto, durou até a saudade da própria alma exigir novos desafios. A tensão entre o futuro e o passado exigia novas presenças de si mesma. No brilho dos olhos de Psiquê em busca dos novos anseios se via a saudade da família e do seu povo invadindo o coração. Os scripts familiares  sempre encontram um caminho para chegar aos seus atores, antes destes abrirem mão deles para escrever seus próprios destinos. Aquela segurança de pertencer ao seu grupo consanguíneo, também muito válido e importante, chegou questionando as fronteiras entre o seu desejo pessoal de viver o amor e o que esperavam dela coletivamente, entre a primeira família a quem se deve a vida e a que os amantes constróem com os novos parceiros. Havia também a dor de ficar em uma prisão bem-aventurada longe do contato humano. 

Não podendo mais conviver com a angústia que surgia, pediu autorização ao seu marido para que as suas irmãs pudessem visitá-la.  Ele alertou à esposa dos riscos de entrar em contato com elas, mas depois de vê-la sofrer sem conseguir confortá-la, aceitou o pedido reafirmando a condição de anonimato entre eles.

Zéfiro, o vento, trouxe as duas ao palácio dourado, onde foram muito bem recebidas por Psiquê. Quanto mais conviviam com a fortuna e as bênçãos da irmã caçula, mais a inveja as corroía:

-  Ele faz o quê?
- Não sei...
- Como não sabe, Psiquê? Não conversam?
- Sim, mas...
- Por que ele não vem nos cumprimentar? Tem algum defeito?
- Não... na verdade, nunca vi o rosto dele.
- Você não sabe como ele é?! 
- Não, mas minhas irmãs...
- Como pode gostar dele?
- Só sei que o amo.
- E se for um monstro?!!

 Elas não estavam, de fato, preocupadas com o bem-estar da irmã caçula ou com quem era o marido misterioso. O sentimento de que Psiquê foi convidada à aventura do amor e, bancava o risco desta jornada, era o verdadeiro incômodo que as transformavam em bruxas furiosas que odiavam todos os homens por não lhes proporcionarem aquela fortuna. Elas precisavam apunhalar este monstro através de Psiquê, e assim perpetuar a sua amargura deixando a irmã como elas. 

Quantos parceiros/as apunhalamos antes de conseguir enfrentar o fel do próprio fígado?

Por outro lado, como é que se amadurece uma relação sem que se re-conheça o totalmente outro? Sem que se aventure na própria capacidade de amar?

As amarguradas (vozes interiores) tanto azucrinaram a heroína, que Psiquê resolveu quebrar a promessa feita a Eros com um punhal. Durante a próxima madrugada, depois que o seu amante adormecesse, iria livrar-se dele para sempre. Com isso, esperava livrar-se do sofrimento de um possível coração quebrado. Sem coragem de levar o seu plano adiante, resolveu pegar o candeeiro no aposento vizinho e ir até o leito matrimonial para desvendar, enfim, quem era ele. O clarão da pequena chama iluminaria paulatinamente o deus adormecido para revelar que o seu marido era o próprio deus do Amor.

Encantada e ao mesmo tempo profundamente arrependida das suas desconfianças, abaixou o punhal ferindo o próprio peito. Estremecendo de dor e de amor renovado, derrama uma gota do óleo da luminária na coxa direita do seu marido. Ele acorda, se depara com a cena, e sem dizer uma única palavra, é arrancado pelo seu voo divino de Eros, quando o amor desaparece. (Ele some mesmo).


Alguém já saiu de uma relação sem dar uma palavra por medo das emoções e reações envolvidas?  O enfrentamento da separação não é também uma experiência a ser vivida com todas as suas implicações? O que dá mais força, fugir do amor ou da separação ou se abrir para esta experiência?

Por causa da agonia insuportável do amor perdido, Psiquê se vinga das irmãs, que caem do abismo ao seguir a cobiça da própria inveja.

Pausa no mito: se, em algum momento uma pessoa sonha que cai de um abismo porque tentava segurar quinquilharias arrancadas pelo vento, então, talvez, tenha escutado as vozes que diziam que o amor não era para ela. Deu ouvidos às irmãs de Psiquê e apunhalou o seu amante (sua capacidade de amar). Ou, quem sabe, conseguiu matar as vozes que a impediam de viver um verdadeiro encontro e resolveu aceitar a sua jornada neste caminho, caindo de amor.





Se o sonhador cai e um pássaro ou um vento o salva, ele é Psiquê iniciando a jornada, antes da jornada. De qualquer maneira, cair em abismos nos sonhos anunciam crises fundamentais, por isso, é bom procurar ajuda, como o próprio Pã indicou à Psiquê vacilante e pálida:

- Nem tente se matar outra vez, não vale a pena! Pare de se lamentar e vá conquistar o seu amor com a sua doce submissão!

 - O quê?! Eu vou é dar uma voadora nele! 




Psique não está fazendo café, mas matutando


 "Eu entreguei meu coração como nunca antes havia conseguido e ele tratou o nosso amor como o mais insensível dos amantes”.

Algumas pessoas recorrem à raiva e à ironia depois de uma decepção amorosa, como se pudessem escapar por muito tempo do verdadeiro sentimento. É preciso, porém, se molhar na tristeza em algum trecho da jornada, senão o rio da redenção vira veneno. Por isso, algo em Psiquê seguiu o conselho do velho sábio. Não porque ficou ligando e mandando email para o ex. Ele sumiu mesmo, se lembra? Também não fez jogo duro e bateu o martelo um milhão de vezes dando o veredicto de que o seu marido era um idiota, fraco que não ia mudar a vida inteira. 


Ela, ao contrário, tomou coragem e, com humildade, pediu ajuda à “muito mais que Gilda do Olimpo”, sua sogra, a deusa do amor, para reencontrá-lo. Isto pode ser interpretado como a submissão ao feminino coletivo, que vem das experiências de todas as ancestrais. Neste processo, é possível tecer nela mesma o seu caminho único e intransferível como mulher. 

A deusa propõe quatro tarefas impossíveis para qualquer mortal[iii].

Nesta jornada, quase uma assinatura da derrota anunciada do mergulho escuro da própria alma, Psiquê confronta a sua singularidade, ainda pouco desenvolvida, com o princípio do êxtase amoroso coletivo. Neste choque, se liberta de toda impotência recheada de vitimizações e teorias da conspiração para tecer em si mesma a pessoa que é.

Não é verdade que o término de uma relação amorosa pode tirar o brilho dos olhos, ou levar um coração partido a mil outras bocas até a coragem de confrontar os lugares mais felpudos e fofinhos onde se escondem os escorpiões? E não é verdade que o ouro está coberto por muitos perigos?

A heroína, então, se vê diante do desafio de integrar os 4 elementos que a transformariam ou a matariam. Afrodite não estava brincando.  Para incorporar a terra, adormeceu, deixando aos instintos a execução da tarefa. Com isso, aprendeu que não se comanda ou reprime as caudas ancestrais, segue-se em frente com elas atrás. Qualquer tentativa de dominar os instintos, sem escrúpulos, gera doenças e até a morte. 

Para conquistar o Fogo, aceitou a humildade, com a qual "não pensar que sabe tudo" abre mundos de possibilidades. Com a aquisição das lãs douradas das ovelhas selvagens, sem confrontá-las diretamente, alinhou o coração com o indizível, sabendo que o erro treina competências e a intuição flerta com o impossível. O ar foi incorporado com a ajuda da águia de Zeus. Ela com sua visão afiada, treinou o discernimento de Psiquê e a sua capacidade de elaborar estratégias. E, finalmente, com a água, a sua fluidez e entrega, atingiria o âmago da feminilidade no plano inconsciente. Este "convite" faria Psiquê confrontar-se consigo mesma no mundo subterrâneo de Hades.  


Lá, no mundo dos mortos, foi exigido que ela desistisse de todo o controle e de todo o desejo de tê-lo de volta custe o que custar. Que desistisse também de acreditar que a vida não estivesse atrelada às caveiras. Vida e morte são inseparáveis. O aprendizado aqui era:  tente tudo, mas entregue o resultado dos seus esforços a uma Força Maior. Precisava também desistir do seu esposo, sem querer matar Eros em seu coração para parar de sentir dor. Não se mata o amor. Era preciso desistir da ideia de que só o/a parceiro/a que lhe acendeu a chama da paixão (e desapareceu), pode mantê-la acesa. Ela também manteria o seu coração vivo. 

E precisava sair de lá viva, mesmo mortificada com tanta dor, para levar o elixir da beleza eterna para Afrodite sem tocar nele. Como não cumpriu esta última etapa, passando nela a poção feminina, venceu as quatro tarefas sem saber: ela, ao desejar a beleza eterna a ponto de burlar um item da última etapa, incorpora a deusa na mulher que é, transformando-se em Psiquê, a alma. 


Ao transformar o feminino coletivo em uma experiência pessoal, liberta Eros, a sua capacidade de amar, das cavernas da melancolia. Ao ser redimida, desperta o seu amante, atraindo-o para um novo romance!





Young lovers in Paris by Gordon W. Gahan
National Geographic, 1972 

Psiquê ao transformar sua feminilidade evoca em Eros a sua transformação. Mesmo longe um do outro o desenvolvimento dela o afetou. Os dois amadureceram até o reencontro em novos patamares de convivência. Em outros mitos, esta correspondência entre os amantes é também sugerida.

Se foi necessário mil casamentos com o mesmo homem/mulher ou com dez outros parceiros/as diferentes até uma relação mais honesta e profunda, não importa, Psiquê não desistiu do deus do amor. Assim, ela não enviou Eros ao psicanalista ou a uma Constelação Familiar, ela mesma assumiu seu desenvolvimento e isto o afetou, porque os dois se "correpondiam" em sua jornada interior.

Agora, se Eros procurar ajuda para seguir a busca de sua alma (Psiquê), isto já é a jornada de herói dele.








[i] Esta jornada pode acontecer com diversos/as amantes, cada um deles aprofundando o caminho, com apenas um ou dois parceiro/as, e, em qualquer idade.

[ii] Para a fenomenologia a verdade não é algo dado e estanque, como uma norma ou diretriz inquestionável,  mas é algo que se revela e desaparece, não podendo ser reproduzida, mas vivenciada e testemunhada.

[iii] Para saber mais – “Amor e Psiquê, uma contribuição para o desenvolvimento da psique Feminina” de Erich Neumann, editora Cultrix.

19 de mai de 2014

42) A Imagem que Cura e a arte de Olhar



Em seu livro a “Fonte não precisa perguntar pelo caminho”, Hellinger, criador da Nova Constelação Familiar, diz: “o mestre olha, por isso não precisa aprender. O discípulo aprende, por isso não olha” (2007:33).

A ação deste aforismo se confirma em seus seminários da Nova Constelação Familiar, nos quais somos instruídos a não ficar anotando ou preocupados em explicações, mas sim a olhar, ficarmos atentos a partir do nosso centro, inteiros, para seguir o movimento, a Fonte, juntos. Uma cura a nível da alma acontece, sem que milhares de pensamentos pertubem.

Ele não é o primeiro a ressaltar que em nossa relação com o mundo somos inteiros e é nesta inteireza, por meio das relações, que encontramos soluções.  Há muitos outros, entre eles Jiddu Krishnamurti que no século XX surpreende e rompe com seus mestres ao dizer que a verdade é uma “terra sem caminho” impossível de ser organizada em crenças, religiões ou seitas. Neste sentido ela se revelaria para o caminhante e não como um caminho organizado a ser seguido.  Segundo ele, “não há professor, não há aluno, não há líder, não há guru, não há mestre, não há salvador. Você mesmo é o professor, o aluno, você é o mestre, você é o guru, você é o líder, você é tudo”. 

A relação eu-mundo, onde a inteireza se sustenta, aparece na Constelação Familiar e na Terapia Sistêmica. Com elas se criam espaços de intersubjetividade privilegiados para se encontrar as soluções de acordo com o caminho, não preestabelecido, de cada pessoa.

Entendo como se estes pensadores práticos não estivessem procurando discípulos, porque olham como mestres que são e que somos. Isto é a arte de olhar. 

Para Hellinger, então, olhar a partir de seu próprio centro cria um elo com a realidade, e este é um ato de “somente olhar e nos limitar ao que percebemos. Mais nada. Mas isso exige modéstia” (Hellinger, 2007:30), porque nos impede de formular mirabolantes divagações e de criar o mundo segundo o nosso, muitas vezes, limitadíssimo arbítrio e outras representações. 


A liberdade aqui, segundo ele, é pequena, porque contempla apenas o observar para não forçar no mundo nossos modelos idealizados. Apesar desta restrição algo atua. Quer dizer, esta arte de olhar sem intenções, esvaziada de expectativas e dúvidas, a partir de nosso centro, nos conecta com algo que atua e traz soluções.

Esta seria a arte de olhar para algo atuar. O que atua e como atua?

Os yoguis tântricos olham para algo atuar até as últimas consequências, quando se colocam em posição de serem observados pela Testemunha, como chamam uma inteligência maior. É como se o reflexo da Lua em uma gota de água percebesse, de repente, que é a própria Lua, interrompendo a ilusão de que ela é a gota da água onde está refletida, e, ao se fundir com a Lua, deixasse de ser o reflexo que olha e passasse a ser a testemunha que atua.

Alguns artistas podem intuir esta ação plasmando-a em sua obra convidando-nos, ao entrarmos em contato com sua arte, a olhar o que atua. Com isso acessamos o centro. Por todos os lados o convite de sair da ilusão nos emancipa como protagonistas de nossa jornada mostrando que cada um é mestre de si mesmo.

Em uma Constelação Familiar ou Terapia Sistêmica esta obra de arte que dá o gatilho para algo atuar é a imagem final.

Assim, quando o mestre está pronto o mestre aparece. O mestre em si, nas situações da vida, em pessoas que já percorrem o caminho e, ao nosso lado naquilo que une o pessoal, o coletivo e o longínquo.


 Tazhib* persa estilo Shamse-Sol


*Tazhib é um Arabesco. Segundo Chevalier e Gheerbrant, 
em "Dicionário de Símbolos", o arabesco é um ritmo depurado 
e não uma representação ou figuração. Como uma encantação por 
repetição infinita permite sair do condicionamento temporal conduzindo 
da periferia ao centro.  É o símbolo do símbolo se oferecendo a quem o contempla o longínquo que está ao centro de si mesmo, em elo com tudo o que existe.



8 de mai de 2014

41) Do Coração Quebrado à Fenda de Amor



Com trilha sonora



Se ainda há chances, diga e insista: “trate-me como você me tratou quando em nossos olhos era só amor”.

Mas se ele/a estava mentindo sobre o quanto te amava (será?) ou se você estava cega/o e interpretou os sinais erroneamente (será?), não importa! Ao menos VOCÊ (EU) AMOU!

Portanto, se não há mais caminhos possíveis entre vocês, tenha coragem e lembre-se da primeira vez,  quando tudo começou e deixe que  esta bela lembrança ultrapasse a fenda do coração, que não foi "quebrado", mas Fonte que nunca parou.

Ou


Se ainda há chances, digo e insisto: “trate-me como você me tratou quando em nossos olhos era só amor.” 

Mas se ele/a estava mentindo sobre o quanto me amava (será?) ou se eu estava cega/o e interpretei os sinais erroneamente (será?), não importa! Ao menos EU (VOCÊ) AMEI!

Portanto, se não há mais caminhos possíveis entre nós, tenho coragem e me lembro da primeira vez, quando tudo começou e deixo que esta bela lembrança ultrapasse a fenda do coração, que não foi "quebrado", mas Fonte que nunca parou.










20 de mar de 2014

40) Previsões 2014 - Fortalecer para o Infinito






"A Vida foi feita para fortalecer as pessoas a realizarem o Infinito"
Susan Andrews






TONALIDADE DO ANO

Guerreiros Impecáveis e os Pequenos Tiranos

Este ano teremos a oportunidade de virarmos Guerreiros Impecáveis se aceitarmos o desafio dos Pequenos Tiranos. Eles, além de acabar com o apego a nossa importância pessoal liberando energia para assuntos mais sérios, nos treinam a não reagir com raiva, na manutenção do controle, a ter paciência e ser disciplinados. E isto é impecabilidade. 

É importante não confundir esta temática com a velha briga entre o bem e o mal. O par "Guerreiro Impecável e Pequeno Tirano" estão em treinamento para se fortalecerem para realizar o infinito. Para saber mais sobre isso clique aqui.


Palestina o grande Guerreiro Impecável. Evo Morales o primeiro a tomar uma atitude. 01/08/2014

Esperanças, ação legítima, ativismo transformados em crime, justo no ano eleitoral, bem no final da Copa  - 23 ATIVISTAS são presos preventivamente! Como assim?! 12/07/2014

As organizações globo, novamente, contribuem para legitimar publicamente esta farsa de transformar jovens em criminosos, sem provas. Justo em ano eleitoral, um ano depois das passeatas de junho de 2013.

Pablo Capilé, um Guerreiro Impecável, fala aqui sobre o assunto, 21/07/2014.

NINJA - Vídeo com Eloísa Samy- advogada ativista de Direitos Humanos - que busca Asilo Político no Consulado do Uruguai, 21/07/2014

Porta-voz de Israel ironiza Brasil duas vezes, 24/07/2014. 



             Morgana, Guinevere, Iansã, Oxum, Shakti, Lilith 

Este ano continuamos a ser convidados a libertar o mistério dos grilhões da razão e nos deixarmos navegar, também, pelo irracional. Com ele se pode acessar outras dimensões humanas pelo viés da sensibilidade. Porém, o irracional não é o descontrole, mas um processo de lidar com o mundo de forma não linear.

Assim, a liberdade e o destaque das mulheres neste ano, sendo elas Morgana ou Guinevere, Shakti ou Lilith, Iansã ou Oxun, exige a abertura ao novo e ao mistério por meio do sensível, ao mesmo tempo em que se honra outras racionalidades e o que já está estabelecido. 

Três mulheres muito capazes e competentes, apesar de eu achar que o Eduardo Jorge é o que mais se afina com uma sociedade mais inclusiva e cooperativa, concorrem à presidência do Brasil este ano 08/2014.  

Elisa Quadros, também conhecida como Sininho, uma jovem corajosa, com ideais. Que saibamos dela por ela mesma e não pela manipulação das informações. 01/08/2014

COPA DO MUNDO - A presidenta Dilma, ao lado de Angela Markel, chanceler da Alemanha Ocidental, dá a taça FIFA para o time vencedor alemão. Eu não encontro uma foto delas juntas durante a premiação, como também não encontrei alguém falando sobre o fato de duas mulheres estarem encabeçando as premiações de um evento mundial. 





Como fiz ano passado, coloco em vermelho o que eu achar que corrobore ou refute as previsões.


1)  COLETIVAMENTE

Sofrimento ou Música?



Questionaremos se ainda precisamos do sofrimento como guia de transformação ou começaremos a pisar com cuidado sobre os mortos para que a sua experiência passada sustente horizontes mais justos para todos? (Júpiter perto do Ascendente fazendo oposição a Plutão e quadratura com Urano na casa 9).

Continuaremos a nos inspirar e mobilizar por conta das atrocidades para o fazer político, ou vamos nos organizando e participando cada vez mais para a construção da política que queremos? Reagiremos brutalmente aos desapontamentos, como as Fúrias (abaixo explico melhor), ou promoveremos ações com lutas pedagógicas no fazer político? ( Lua conjunto Saturno perto da cúspide da casa 5, em escorpião, plutão em capricórnio)

Precisaremos de mais pais e mães assassinados pela guerra às drogas e militarização da polícia, como aconteceu com o Amarildo e a Claudia e com os policiais e outros civis, para reavaliar com mais seriedade este momento de transformação que estamos ou a desmilitarização da polícia e a conivência do  poder judiciário com as barbaridades que acontecem serão temas seriamente discutidos?

Queremos aprender pelo sofrimento ou por meio do esforço da composição de novas pautas e melodias inclusivas?



Sionismo e Limpeza étnica do povo Palestino  29/07/2014
Sobre pequenos tiranos e os Guerreiros Impecáveis:

Rede contra a violência - Prisões Preventivas?

Prisões de manifestantes na Copa




PROTESTAR NÃO É CRIME


 Praça Saens Peña, 12/07/2014
Foto: Camila Nobrega/Canal Ibase



2)  JUSTIÇA

 (Júpiter regendo o ano, fazendo oposição a Plutão e quadratura com Urano)

Qual, então, o papel da Justiça, neste ano?

Queremos a "Justiça mais justa" ou o "olho por olho"?


Direção de Malu Galli,
Dramaturgia de Patrick Pessoa e Tradução de Alexandre Costa

ATENÁ X FÚRIAS - em 2014, astrologicamente falando, o arquétipo das Fúrias será Confrontado com Atená. Ela ressurgirá das cinzas da corrupção, manipulações de informação, julgamentos mal feitos e falta de julgamento.

Toda a discussão sobre uma “justiça mais justa” (Pessoa, Patrick, 2013) que a trilogia Oréstia de Ésquilo questiona, ganhará destaque este ano. Nesta tragédia está a passagem da racionalidade que sustenta a sede de justiça "olho por olho" das Fúrias para a aposta, “em certo sentido utópica, na democracia”. 

Segundo Patrick Pessoa

“O voto de Minerva (Atená), sob essa perspectiva, marca a aposta na possibilidade de uma importante guinada nos rumos da civilização: em vez do "olho por olho, dente por dente", que torna infinita a corrente dos assassinatos recíprocos (ver por exemplo "Abril despedaçado", do Walter Salles), uma justiça mais racional, em que o Justo passa a avaliar imparcialmente as circunstâncias atenuantes que se podem encontrar em qualquer crime e assim a absolvição se torna possível. Mas é claro que as Fúrias não têm como ser destruídas de uma vez por todas, elas continuam a operar mesmo nas sociedades democráticas, nos discursos de todos aqueles que querem punições mais terríveis aos criminosos e exigem até mesmo a pena de morte como reparação para o sangue derramado. Esse discurso das vísceras, inegavelmente bárbaro, fecha os olhos para o fato de que, se não há reparação para o sangue derramado sobre o solo (como diz Ésquilo), derramar mais sangue para lavar com sangue o sangue derramado não parece ser uma saída muito razoável”.  

(Em 2013, Patrick Pessoa e Alexandre Costa traduziram, reescreveram e publicaram uma nova versão da Oréstia, que foi encenada no Rio de Janeiro com a direção de Malu Galli. 

Mas, astrologicamente falando, é este ano que sua temática será alvo de discussão).

Exemplos dolorosos desta previsão:

As Fúrias povoam as nossas reações há milênios e, ano passado, receberam notoriedade com a sua justiça com as próprias mãos, feita contra o jovem acorrentado em um poste. Esta justiça pouco justa espalha mortes todos os anos, tanto de policiais quanto de jovens, negros e pobres nas ações contra o tráfico de drogas. Principalmente quando um dos jovens da periferia morto é imediatamente carimbado como traficante para justificar, em nosso imaginário, a sua morte violenta.

 Explico melhor, com um exemplo duro: imagina um absurdo, que seu filho (ou pai ou mãe) foi morto por trocas de tiros. Para não causar indignação na população, é só dizer que ele é traficante. Como você não tem muitos recursos, nem capital social com contatos fortes para te ajudar, terá que engolir a morte física e também a morte social do seu filho, porque um traficante "pode morrer" sem direitos nenhum. E se ele realmente for traficante, e acredite, a maioria deles nem arma tem, matá-lo passa a ser seu julgamento de sangue. As Fúrias agem assim, se vingando do “mal” com mais sangue ainda e justificando seus atos pelo mal que sofreu. No caso, se usa estes disfarces furiosos, manipulando e falseando os fatos.  

Como?

Por exemplo, tentaram “lavar” a atrocidade que o Amarildo e sua família sofreram, dizendo que ele tinha conexão com o tráfico. Se é traficante pode matar? O desejo de se vingar do mal que um traficante causa “lava” as mãos de sangue de um assassinato a sangue frio. A diferença é que desta vez não colou, há guerreiros impecáveis lutando há anos para que isso não aconteça.   Eles estão nas salas de aula, em comunidades, nas delegacias, no poder legislativo, nas ruas, com celulares na mão, etc.

As frases “Se é traficante pode matar”, “Por que não leva para casa”, são contaminadas pelas Fúrias.  E o extermínio orquestrado de jovens, negros e pobres também é o fruto de perversões que colocará o Estado e o Poder Judiciário sob a mira das ações mais intensas deste ano.

Os autos de resistência, o engavetamento destes processos que diz que o policial matou em legítima defesa, destituir uma pessoa de seus direitos porque disseram que ela é traficante, os julgamentos, às vezes bem estranhos, dos diversos mensalões colocarão o Poder Judiciário em cheque.


Juiz e Deus 8/11/2014

Marcelo Freixo - Estado Democrático de Direito X Justiçamento, 02/10/2014

JUSTIÇAMENTO É ASSASSINATO - ENTREVISTA DE LUIZ EDUARDO SOARES COM O PRETO ZEZÉ em DEPOIS DE JUNHO - aos 33 minutos eles falam do justiçamento. A entrevista é maravilhosa ao todo!


3)  DIPLOMACIA / RELAÇÕES INTERNACIONAIS

(Sol / e Urano na casa 9 quadrando Júpiter em Câncer e Plutão na casa 7 / Marte na casa 4 em libra conjunto com Nodo Norte).


Com relação à Diplomacia – O papel das relações internacionais será destacado e isto terá a ver com a Copa também. Não sei falar muito sobre este assunto, mas imagino que as circunstâncias para o destaque da diplomacia acontecerá na época da Copa, quando haverá uma lente de aumento sobre as condições do Brasil. Além do que, vários países com suas delegações estarão por aqui precisando de apoio.


Consulado do Uruguai responde à Polícia Militar sobre a advogada Eloísa Samy, 21/07/2014:

"INFORME: polícia militar entra no prédio do Consulado do Uruguai e chega até a porta do mesmo alegando a quem o atendeu que lá se encontrava uma "foragida da justiça" identificada como Eloisa Samy, ao que o Cônsul disse: "Não tenho que dar nenhuma satisfação a vocês. Retirem-se daqui imediatamente." MIC - Mídia Independente Coletiva / 

NINJA: Link do vídeo no qual Eloisa Sami, advogada que pede Asilo Político ao Consulado do Uruguai

Eloisa Samy gravou uma declaração denunciando as perseguições a ativistas políticos no Brasil. A denúncia do Ministério Público, com duas mil páginas cheia de de inconsistências e contradições, acompanhada do inquérito,  foi recebida pela 27ª Vara Criminal da Comarca da Capital em 2 horas. Ninguém revisa e conclui neste tempo, como fez o Judiciário brasileiro, que um manifestante é criminoso. A Polícia Militar tentou invadir o Consulado do Uruguai, no Rio de Janeiro (Praia de Botafogo, 201),  onde ela pede Asilo Político. Só para constar, esta tentativa de invasão da PM não aconteceu na ditadura militar.   


Mas é mais do que isso, nós nos colocaremos com mais força no imaginário mundial, perdendo aquela imagem de paraíso tropical que recebe todo mundo de braços abertos e abaixa a cabeça para o bom estrangeiro. Continuaremos generosos, e, com certeza, cordiais (de coração mesmo), mas nossa autoestima está melhor e nossa identidade mais estruturada. 

Chile e Peru chamam seus Embaixadores em Israel para consultas31/07/2014


Porta-voz de Israel desqualifica o Brasil duas vezes e o nosso Chanceler Figueiredo responde que "se há um "anão diplomático" Brasil não é um deles". 24/07/2014

Livro de Domenico de Masi "O Futuro Chegou", cita nosso país como um dos modelos - não concordo com o De Masi em toda a entrevista, mas anunciar os povos indígenas como nosso legado maior, é emocionante! 19/05/2014

A Copa e nossa imagem mundial (Eu não acho que os fins justificam os meios e não era esta a imagem que eu estava falando, mas segue um artigo para refletirmos) Queimar a Marca-país virou estratégia Eleitoral (Antônio Barbosa Filho)- A Copa do Mundo no Brasil pode servir para favorecer a nossa "Marca-país" (imagem e valor comercial de um país no mundo), porém pode ajudar a Dilma e PT a se reelegerem. Para os que são contra o governo do PT e da Dilma, acabar com a Copa é uma necessidade, porém acaba com a nossa imagem comercial perante o mundo também.  

A Copa e nossa imagem mundial 2 - Para refletir, de outra maneira, a imagem que queremos e a que custo - Manipular os Números de Taiz L. S. Barbas.


Video: Silvia Salek sobre imagem do Brasil na mídia internacional - http://vimeo.com/98464508


Eu estou "curiosa" para saber o que Júpiter (estrangeiro) perto da casa 1 (identidade) desafiado por Plutão (Erupções de massa) na casa 7 (do outro) vai trazer para a consolidação da nossa identidade. Certamente não é inteligente importar modelos de outras culturas. Eu sei que há algo de bom nesta convergência de vários países no Brasil numa época de transformações e eleição, mas neFIFAsto também!

Copa o maior evento de mídia social já registrado em todos os tempos - facebook -  Brasil Post, 14/07/2014

A Copa das Copas - Zero Hora, 14/07/2014 (não sei se concordo com esta matéria, acho que não. Houve motivos melhores do que eles destacaram).

Começou Estados Unidos vão Colaborar com Segurança Pública durante a Copa no Rio

EMBAIXADAS Brasileiras sofrem ameaças de ataque no exterior 

Hackers atacam sistema de dados do Itamaraty 29/05/2014 







4)  EPIDEMIAS

(Netuno com Mercúrio e Quiron na casa 8 e Júpiter na casa 12 regendo a casa da saúde)

Não me lembro qual foi o astrólogo que disse que este ano teremos possibilidades de sofrer algumas epidemias por conta do contato com tantas pessoas diferentes durante a Copa. Concordo, mas isto também quer dizer que podemos ficar mais resistentes. De qualquer maneira, acho importante cuidar da água que bebemos e da nossa fauna e flora. 

Suspeita de Ébola no Brasil - Fiocruz investiga. 10/10/2014

Ébola - a falência moral das pesquisas que só se mobilizam quando uma doença atinge "inocentes" (leia-se, pessoas que têm direito a vida segundo a cartilha do pensamento abissal) - 7/8/2014

Ebola - o que a gente ainda não sabe 6-8-2014

Febre Maculosa no Noroeste do Rio de Janeiro, 15/07/2014

Surto de Ébola 4/07/2014

Surto de Ébola pode ter se espalhado - sensacionalismo ou tem fundamento? 30/07/2014



Síndrome do Descontrole Anunciado

Eu também acho que tem uma epidemia de alguma “doença” psicológica se manifestando. Uma nova manifestação emocional como foi a síndrome de pânico.

Como disse uma amiga minha, estamos tentando controlar as nossas vidas cada vez mais. Já temos até aplicativos em nossos celulares para saber os caminhos com mais e menos trânsito e se há alguém livre ao seu lado querendo namorar ou sexo sem compromisso. Resta pouco espaço para a espontaneidade e o acaso, mas Urano está no Céu e nada mais explosivamente espontâneo do que ele.

Sem espaços em nossa conduta para lidar com a vida como ela é, incontrolável, o psiquismo vai buscar uma compensação. Quando? Quando a repressão estiver mais acirrada, na época da Copa e ao final do ano quando as lutas religiosas começarem – mas acho que isso fica para 2015.

Aluno é barrado na escola por conta das suas guias de candomblé - 2/09/2014

A invasão da religião nas eleições para presidente 30/08/2014 - e há vídeos de pessoas pregando  que o que eles entendem por religião entrará na politica para acabar com o mundo das trevas, de satanás. Quanta violência e exclusão acontecerá por conta desta negação da totalidade da vida?

Guerra Religiosa acontecendo no Brasil:

Religiões AFROBRASILEIRAS sendo desrespeitadas pela Justiça Federal - qual a racionalidade que legitima uma religião?

O Brasil é macumbeiro inconstitucionalidade perpetuando lutas religiosas




5)  O GARFO  e o LIQUIDIFICADOR

Ou VERDADES ABSOLUTAS X O NOVO

(Plutão na casa 7 oposto Júpiter casa 12 e 1)

E a marcha da família com Deus acontece neste sábado dia 22/03/2014, marcando o ano com o desafio de lidar com as verdades absolutas e respostas certeiras para situações que precisam de abertura e ousadia.

O cidadão recebe e vê pela primeira vez em sua vida um liquidificar e usa um garfo para bater o suco dentro do pote do aparelho, que por ventura, pode ligar. É mais ou menos esta a situação. Neste momento de transformações do modelo das estruturas de mundo (Plutão em Capricórnio quadrado com Urano em Áries), “NÃO SABER” seria uma atitude mais humilde, inteligente e com mais força, do que saber o problema e ter a solução.

Quando o novo surge é normal reagir tentando conservar o que se conhece (Júpiter em Câncer, Lua Quadrado com Vênus em casas angulares e signos fixos). Mas usar o mesmo “vilão” imaginário para esta conservação é ingênuo demais, mas não é inocente. A Criação de inimigos fantasmas fundamenta atrocidades.




Mas Urano e Plutão não gostam de ingenuidade e despertam os mais resistentes à chacoalhadas.

Professores recepcionam jogadores da seleção canarinho no aeroporto internacional do Rio de Janeiro para protesto. E que recepciona os professores?

Revolution News - epressão dos professores no aeroporto Internacional 26/05/2014

Ninja - protesto dos professores - 26/05/2014



As Valquírias

Belas e Jovens que cavalgavam em cavalos alados escolhendo os mais bravos guerreiros abatidos nas batalhas para dar a Odin.

As verdades absolutas além de gerarem brigas e surdez, se debruçam sobre sombras de uma caverna, sem ver de fato a luz de fora da gruta. É “normal” os acorrentados em ilusões tentarem matar aqueles que se manifestam sem certezas rumo ao novo mundo. 

Em miúdos: fanatismo é perigoso.

Tomara que estas polarizações não sirvam para matar o que nos dá medo. Ou, na melhor das hipóteses, não busquem um meio termo ou síntese, mas criem uma terceira via nunca antes imaginada e/ou a convivência com a diferença num nível mais elaborado.


6)  ELEIÇÃO

(Saturno indo para Sagitário e Plutão na casa 7)


Tirando todas as transformações que estamos sofrendo até 2017, 

a Justiça e o processo democrático terão que se enfrentar. Como querer um modelo democrático sem que haja votação para decidir quem são os agentes do Poder Judiciário?  O poder legislativo também precisa de reformas, e este ano começará as novas propostas para estas três esferas de poder.

Reforma Política - Começa apuração do Plebiscito Popular pela Reforma Política 9/09/2014

Plebiscito Constituinte - 01/07/2014
"Você é a favor de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?
Esta é a pergunta que chamamos todos e todas à responder. Desde este 15 de novembro de 2013, quando lançamos a campanha pelo Plebiscito Popular, faremos plenárias nos estados, momentos formativos, publicações, mobilizações para construir coletivamente um amplo debate, que terá como ponto de chegada a semana da pátria, de 01 a 07 de setembro de 2014".

As Eleições mostrarão, de alguma maneira, o impasse e a ineficiência da organização destes 3 poderes para o processo democrático.

Como?! Prisões Arbitrárias durante a Copa são respaldada pela justiça?! Cardoso: prisão de manifestantes não foram arbitrárias, Estadão, 14/07/2014

Deputados pedem punição a Juiz por prisão ilegal - Portal Forum, 17/07/2014 

Previsões Astrológicas do Delegado Vidente que prevê crimes antes que aconteçam - Rafucko, 15/07/2014


PODER JUDICIÁRIO - Juri Simulado no caso Santiago Andrade : "Um processo criminal não deveria ser objeto de pronunciamento público até que o Poder Judiciário, após prudente análise da prova e do caso concreto, formulasse um juízo maduro de culpabilidade ou absolvição. Entretanto, como a mídia protagoniza verdadeiros linchamentos virtuais – que afetam, conforme tantos estudos já comprovaram, o direito a um julgamento justo e desafiam a presunção de inocência – avaliamos que a organização desse júri simulado, com métodos tecnicamente superiores e uso de conhecimento específico, concretiza o direito à liberdade de expressão. Ocupa-se muito frequentemente a mídia brasileira com julgamentos e condenações antecipadas" (recorte do artigo linkado acima) 

Quem tem medo da Sociedade Civil e da democracia participativa?




QUEM VAI VENCER A COPA DO MUNDO

Alemanha. Só um chute, não tem nada a ver com as previsões. Qual o seu palpite?

Foi mesmo...


7)  RELACIONAMENTOS

(Marte Rx conjunto com a Cabeça do Dragão em Libra, Vênus em Aquário quadrando Lua e Saturno em Escorpião, Plutão na casa 7 que é regida por Saturno saindo de escorpião para Sagitário).

Sêmele, Hera e Zeus ou a Amante, a Esposa e o Marido

Algumas mulheres se casam e esquecem de namorar seus companheiros, alguns homens também. Têm aqueles que perdem o interesse por suas mulheres quando elas engravidam e têm aquelas que não ligam mais para o marido depois de terem seus filhos.  Muitas vezes, estes desinteresses são compensados com triangulações amorosas.  Esta é uma configuração que será mexida durante o ano, especialmente nos signos de ar (gêmeos, libra e aquário) e água (câncer, escorpião e peixes). Mas todos os signos podem se ver nas famosa briga de Hera, Sêmele e Zeus e redescobrindo o casamento ou o amor por conta disso.

Na esfera pública, o impacto de alguma triangulação afetará as relações internacionais. Eu fiquei com vergonha de escrever isto daqui, mas tá lá, bem marcado. Tenho até uma hipótese, mas não vou escrever nunca.

O mais importante destas configurações é que a hipocrisia pode ser desmontada a partir de um olhar mais inclusivo e que questione, por meio das relações, qual é o tipo de mulher e relação que é “de bem” e o que é “do mal”. Isso existe?

Paixões e Traições no inquérito para suforcar os movimentos sociais.
Hein?!?! Eu tenho vergonha mesmo de colocar estas coisas aqui.

Traição amorosa ajuda polícia a investigar manifestantes do Rio de Janeiro Hein?! 25/07/2014


Revista exame - revista onde onde originou a matéria acima 25/07/2014

Será que esta reportagem é verdade? Como disse uma amiga minha, a Beatriz R. "Então, toda essa ilegalidade tem origem em dor de corno? Façam-me o favor".

A minha vergonha (e isto é ridículo de minha parte, porque a "vergonha alheia" é arrogância e não muda nada) não é alguém sofrer por amor e até cometer atos de vandalismo ajudando uma investigação absurda. Me envergonha se esta matéria for só outro sensacionalismo em cima de injustiças cometidas sobre a juventude brasileira, inclusive levando a ex-companheira ao ridículo também. Nossos jovens sendo destruídos pela mídia. Se as investigações usam os depoimentos de uma pessoa emocionalmente ferida para ferir mais ainda a nação inteira com tanta arbitrariedade, todos são feitos de bobos, até as relações amorosas e seus dramas. E, se isto (o depoimento) for verdade e não sensacionalimo, levar uma pessoa machucada a cometer um ato que depois pode se arrepender pra sempre, é perverso. Como é perverso se esconder atrás da dor da moça para continuar a fazer barbaridades, tanto nas investigações (se for verdade), como nas mídias.

A Relação como protagonista

Acho que outro tema muito importante destas configurações na casa 7 e 8, de Vênus em Aquário e Marte em Libra é que as relações serão pensadas, promovendo uma reavaliação sobre as dinâmicas que as estruturam. 

A Terceira entidade num casal é a relação, e este espaço de intersubjetividade será muito trabalhado este ano. As terapias de casal ganharão enfoque, os trabalhos acadêmicos sobre o casamento ganham interesses e a espiritualidade será pensada como o Campo que nasce no  espaço entre os seres.

A Sagração da Primavera em dois atos

A Sagração da Primavera de Igor Stravinsky colocou em cheque a estética musical do século XX, dando origem ao Modernismo. Na época, causou polêmica também porque o não menos rebelde Nijinsky coreografou seu balé com a música, contando visceralmente a trajetória de uma garota entregue como oferenda à divindade primaveril em troca de uma colheita proveitosa.

1) Há um rito de passagem neste ano, como uma adolescência florescendo e pedindo passagem. Mas ela é sacrificada para garantir uma colheita fértil. Quais são os jovens orquestrados para serem sacrificados? Os da periferia, pobres e negros? Qual é a colheita fértil que se tem destas mortes? É preciso outro arranjo, com energias conservativas (não confundir com conservadorismo).

Estas são forças que doam sem que precisem de algo em troca. Em outras palavras, este ano será intolerável a morte de pessoas em troca de bençãos cósmicas. Não é que isso aconteça claramente, estou criando a hipótese de que nos daremos conta da troca do sangue dos jovens para se ter novamente algum sentido de vida. Não precisamos mais sacrificar jovens para ter um novo mundo, mais fartura, algum sentido. 

Saturno está em escorpião há dois anos mostrando a cara dos excluídos mortos em nome de que dinâmica de compensação?

A possibilidade de uma nova estação fértil de sentido de vida, sem sacrifícios aos deuses precisa da nossa participação. Esta será a compensação que daremos em troca de algum sentido de vida - nossa participação na política, na coletividade. Por isso, a criminalização dos movimentos sociais vai causar, e sempre causou, mais perdas do que ganhos.

2) “Quero fazer contigo o que a primavera faz com as cerejeiras” (Pablo Neruda). 

No nível pessoal, a mesma energia de compensação que faz sacrificar algo para se ter outra coisa será compreendida de outra maneira.

Ao aceitar a vida vinda dos pais, como sacrifício do corpo deles para o filho/a, e sem se sentir culpado por isso e sem julgá-los, pode-se transbordar. O transbordamento de quem aceita seus pais como são atrai relações de amor porque quer compensar o que se ganhou.

Em outras palavras: tenderemos a compensar a vida que recebemos, aceitando-a sem ficar criticando os pais, e com isso atrairemos  mais felicidade, ou continuaremos a colocar jovens no altar dos sacrifícios na esperança de trocar por alguma benção contra o desencantamento do mundo.


8)  ESPIRITUALIDADE

(Sol e Urano na casa 9, Júpiter oposto Plutão)


Este ano, a diferença entre religião e espiritualidade se acirrará. Cada vez mais a espiritualidade se desprende da religião como único suporte de sua manifestação e se mostra como dimensão humana e da vida.
Se começar a ser entendida assim, todas as formas de acessá-la são patrimônios que não podem ser reduzidos a uma só crença.

A diversidade religiosa, então, será um dos caminhos que garantirão o acesso à multidimensionalidade humana por suas múltiplas  culturas. Haverá brigas, porém, porque a ideia de espiritualidade como dimensão humana e forças divinas representadas por mais de um filho de Deus ainda é considerada heresia. Em 2015 estas diferenças  chegarão ao ápice e buscarão soluções concretas.

A Justiça Federal cometeu uma injustiça Divina, será isso mais um caso de racismo? 

Juiz volta atrás, o que é muito bom, mas não muda a sentença. Até quando Continuará o linchamento virtual e real da diversidade?

Evento pela Diversidade Religiosa


Saúde e Espiritualidade

Novas formas de pensar o corpo, a saúde e as estratégias de cura que incluem a dimensão espiritual, já há muito tempo  pesquisadas, ganharão mais adeptos nas pesquisas universitárias.


9)  COOPERAÇÃO E ECOLOGIA

As cooperativas, a economia solidária e o paradigma ecológico ajudarão a construir novas políticas públicas, mas estarão emaranhados em discursos pouco efetivos, ou dogmáticos. 


10)             EUA e CHINA

Este ano os EUA estarão, novamente, promovendo e na mira de ações terroristas, só que com grande prejuízo para a sua economia. Não vejo muita saída para eles.

A China continua a crescer economicamente, porém, socialmente haverá o início de uma “rebelião” das mulheres. Será? Posso tá vendo coisas...


11)             MOVIMENTOS SOCIAIS

Eles continuam até 2017 acolhendo os excluídos e com a voz dos excluídos. Suas demandas e suas identidades aparecerão e ampliarão as ações políticas. Com isso será colocado em cheque os 3 poderes, principalmente o Judiciário.

A Desmilitarização da polícia terá que lidar com as Fúrias carregadas de armamentos e apoio jurídico. Até 2017 o movimento contra a proibição das drogas ainda não será respeitado e levado a sério como deve ser, mas seguirá sua luta até ganhar destaque naquele ano (2017).


12)             MORGANA, GUINEVERE, IANSÃ, OXUM, SHAKTI, LILITH
   
As tonalidades mais livres e mais conservadores das mulheres se encontrarão dentro de si mesmas. Não haverá trégua enquanto não aprenderem a viver as suas diversas facetas, e das suas irmãs, sem julgar e excluir.  Até os lados mais sombrios do feminino serão focalizados. Ahhhh, a Lua em Escorpião ao lado de Saturno, ahhhh os 14 nomes de Lilith.

A Mulher está de volta este ano, já que ano passado foi um ano muito masculino do ponto de vista astrológico. Não que um ano regido por Júpiter seja feminino, mas a Lua e a Vênus este ano pedem passagem.

Com a tragédia da Claudia Silva Ferreira, assassinada por policiais em Madureira, em meados de março, a mulher entra em cena, a periferia entra em cena, a pobreza entra em cena, o negro entra em cena, novamente, como vítimas de atrocidades do Estado. São 4 séculos disso, chega! Com ela e com o Amarildo, duas famílias foram mutiladas e o Brasil também! Estes são dois nomes no meio de muitos que também têm história, afetos, famílias. Não quero chama-los de Amarildos e Claudias, quero saber seus nomes. Não os quero como ícones de minhas revoltas e indignação. Quero que isto acabe.

Como disse antes, não quero o sacrifício deles para ter um sentido de vida.

Este é o sentimento deste ano: não se quer mais estas atrocidades “lavadas” com os autos de resistência. Não se quer mais falar da mulher, pobre e negra como vítima de um sistema que a excluí e a assassina. Transformar elas e eles em símbolos de uma luta não mostra o rosto de milhares de homens e mulheres que sofrem abusos porque são invisíveis. 

Não acho que a IMPUNIDADE é o desencadeador das atrocidades, mas a INVISIBILIDADE É.

Cadê a história dessa gente na tela da televisão, nas fotos, na publicidade, nas propagandas, no nosso imaginário?

As Mulheres começarão a se organizar para mostrar o rosto, o sonho e a história de seus filhos e filhas, irmãos e irmãs, pai e mãe, amigos e amigas.
  
A Greve dos Garis em março e sua onda laranja contra a casa grande, já foi uma guinada na história do protagonismo do povo brasileiro excluído. Não houve morte, não houve tragédia, houve luta, organização, protagonismos e vitória!

Ainda faltam os povos indígenas... mas "não servem" para nada, não é?

Na esfera coletiva/pública, duas mulheres se enfrentarão. Que bom! Precisamos de mais mulheres governando.



  

1)  LGBTTT

Continuam a sua luta contribuindo imensamente para os novos tempos. Este ano, porém, ganharão e darão mais força junto a outros movimentos. Com isso, sua causa ganhará mais adeptos, uma vez que nos últimos 6 anos o número de ataques a eles aumentou. Como isso é possível?

Dirigente do PSB para políticas LGBT deixa campanha de Marina  - 10 % da população brasileira é declaradamente homossexual - e isto não é uma opção sexual é uma orientação sexual - enquanto 2% são evangélicos - uma escolha. Com este retrocesso 2% da população não ganha e nem perde nada, mas 10% da população continua sem direitos.


14)             PREVISÕES PARA AS QUESTÕES PESSOAIS:


Áries, Libra, Câncer e Capricórnio – estes signos terão mais ênfase nas transformações na área profissional, podendo atrair muito sucesso e visibilidade. Terão também um papel social mais destacado. Áries com grandes chances de sucesso profissional e aceitação de si mesmo sem concessões. Câncer expandindo sua visão de mundo com possibilidades de muitas viagens e contatos. Atrairá muita visibilidade em seu trabalho. Libra arregaçando a manga e indo atrás do que quer fazer. Fazendo novos amigos que estimularão novos horizontes. Capricórnio reavaliará seus relacionamentos profundamente, amorosos, de amizade e de trabalho. A arte pode virar uma profissão. Atrairá parceiros poderosos, assim como será uma pessoa chave em qualquer negócio que participar.


Touro, Leão, Escorpião e Aquário – para estes signos será exigida a fé nos sonhos que criam o chão do primeiro passo, e o desejo de arregaçar as mangas e concretizar a visão de futuro. Touro expandirá o círculo de amigos, assim como sua sensibilidade o guiará mudando sua forma de ver o mundo e com possibilidades de ganhar mais dinheiro. Leão ao acreditar e renovar a autoestima e os próprios valores poderá realizar muito dos seus sonhos. Escorpião nos últimos dois anos foi testado de diversas maneiras. Agora poderá colher o resultado da força adquirida, principalmente nas artes, com seus filhos, e na autoexpressão. Pode descobrir novas vocações. Aquário no começo do ano vai se sentir mais travado, quase implodindo, para depois se abrir ao mundo dos sentimentos e reavaliar os limites de todas as relações e o que quer para sua vida.


Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes – ano passado as confusões eram sinal de que a primeira água do processo de purificação estava saindo. Agora mais centrado e ciente do que não quer mais, começa o ano com algumas portas abertas e realizando alguns sonhos. Gêmeos ficará um pouco mais introspectivo e emocional, mas com isso conseguirá ter coragem para estabelecer relações mais profundas e felizes. Virgem estará realizando muitos sonhos, viajando e saindo do papel de vítima que se impôs durante algum tempo. Estará especialmente charmoso este ano. Sagitário será brecado, até pela saúde, para se desfazer do que não serve mais para ele/a. Terá que respeitar os seus limites e dos outros e sair do controle, para então receber todas as bênçãos de suas ações benevolentes dos últimos anos. Perderá o medo nos relacionamentos. No final do ano, ele começa um período de reavaliação de suas ações.  Peixes novos horizontes depois da dissolução das amarras e das autoimagens falsas que acabam com sua autoestima. Com isso poderá acessar seu centro e brilhar daí. Ganhos inesperados, principalmente se tem algo na justiça, e viagens. Mas o mais importante são os aliados que estão ao lado protegendo e orientando o caminho. Estes podem ser amigos, ou até anjos, se é que eles existem.



14)             CONCLUSÃO


No ano regido por Júpiter e o Cavalo de Madeira no horóscopo Chinês, tudo fica maior, tanto para o bem como para os desafios mais difíceis. Se no ano passado os instintos se polarizaram em relação ao amor para questionar as estruturas que não davam conta de muitas necessidades coletivas, este ano nossa vontade de viver em uma sociedade mais equânime e justa terá que enfrentar nossos desejos de vingança, ódios e rivalidades, questionando nossa identidade nacional no mundo, e os 3 poderes.


Os Pequenos Tiranos continuarão a fortalecer os Guerreiros Impecáveis.  Por isso, a repressão será maior, mas as soluções também serão mais potentes e contarão com a mobilização de muitas pessoas. Atená, excluída da sua casa da Justiça, precisará encontrar um viés para dialogar com as Fúrias e sua paixão pelos brinquedinhos bélicos. Que venha, então, a música! Com ela, se consegue encantar as Fúrias em escalas mais harmônicas de convivência.

Finalizo com um bom presságio: as crianças, ao final de 2014, começarão a ser enxergadas bem discretamente, como nunca foram vistas. Não só elas se beneficiarão, mas todas as que já existiram e chegarão.

O Brasil está em 6o lugarTaxa de homicídios de crianças e adolescentes, - Como nos diz o delegado Orlando Zaccone a pergunta não é quantos assassinatos são cometidos por menores "mas quantos assassinatos são cometidos contra adolescentes no Brasil?" 05/09/2014

No meio de 2014 as crianças da palestina ganharam visibilidade, mas da forma mais dolorosa: de um lado pelo genocídio que se abate naquelas terras e pelo preconceito sobre aquele povo. Rogo que sejam vistas vivas, brincando e povoando nosso planeta, AGORA e não no final do ano. 01/08/2014

Alguém sabe quem é o autor desta foto?




78) Depressão

Quando eu li pela primeira vez que a depressão, segundo as observações do Bert Hellinger nas Constelações Familiares, era, geralment...